Regulamentos

 

Nesta página voce encontra regulamentos atuais e antigos que servem de orientação geral.

 

 

 

Todos os regulamentos da Guduxus voce encontra na página deles

http://www.guduxus.com.br/regulamentos-super-falcon-2016/

REGULAMENTO SUPER FALCON 2016

REGULAMENTO PORSCHE 917 – 2016

REGULAMENTO PROTOTIPO G12-2016

REGULAMENTO TURISMO 1-32 – 2016

 

 

 


Campeonato Carioca de SCX NASCAR - GTR Slot Car - REGULAMENTO 2016


(clique na foto para detalhes)

Nas categorias são permitidos todos os carros da SCX modelos NASCAR.
São permitidas as seguintes alterações.


É permitido o uso de qualquer motor NSR – SCX - Scaletrix .
Haverá um tempo mínimo de corte de 4,3 segundos. As voltas abaixo desse tempo não serão computadas.

 

GNão é permitido usar pneus de silicone e mistos.
As rodas podem ser de réplicas de qualquer fabricante, dianteiro e traseiro.
3.4 Relação Pinhão e Coroa.
Serão permitidos pinhões de 9,10 e 11 dentes e coroa de 27 dentes . 
3.5 A bitola permitida será de até 65,0 mm para todos os carros.
3.6. Obrigatório utilizar carroceria completa . (Podendo não ter retrovisores, antenas e aerofólio.
3.7. Proibido uso de rolamentos.

A GTR Slot Car fornecerá, como de costume, troféus aos três primeiros colocados em cada prova e ao final do campeonato aos cinco primeiros colocados.

Colocação

Pontos

1º lugar 

15

2º lugar

14

3º lugar

13

4 º lugar

12

5 º lugar

11

6 º lugar

10

7 º lugar

9

8 º lugar

8

9 º lugar

7

10 º lugar em diante

6

GVale o que está escrito!
Casos não previstos neste regulamento serão analisados pela comissão de corrida e sua decisão será soberana, não cabendo recurso.

 

 

REGULAMENTO DA "CORRIDA DO MILHÃO" NA GUDUXUS
A “Corrida do Milhão” será no domingo 16 de Agosto com uma ENDURANCE de 2 horas!
No sábado 15 de Agosto a pista estará aberta a partir das 10:00 hs para preparações dos carros e treinos.
Às 18:00 hs de sábado faremos uma corrida recreativa na modalidade Sprint 3’ com direito a troféus. Durante o sábado serviremos petiscos e bebidas. Para auxiliar nos custos pediremos uma taxa de R$30,00 para quem vier neste dia.
Piloto individual poderá se inscrever para que possamos formar as equipes.
A categoria será Porsche 917, mantendo as mesmas características da atual Copa Porsche, para todos os carros; porém para a categoria Pró utilizaremos o ímã de 4 mm montado na parte traseira do chassi e para categoria Light, serão utilizados dois imãs, um de 2 mm na parte central e outro de 3 mm na parte traseira, conforme corte de fábrica.
Durante o evento serviremos um churrasco para todos os presentes.  Teremos além da corrida, disputas de Ping Pong e Dardos.
Abaixo segue programação da prova:
1. ENDURANCE:

2. O CARRO:

3.      EQUIPES:

4.      HORÁRIOS:

5.      VALORES:

6.      PREMIAÇÃO:

8.      GRID: Favor confirmarem a participação até no máximo dia  31 de Julho.

 

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL
"BOM PILOTO NÃO BATE E NÃO RECLAMA"
Regulamento e Informações para a Categoria S16D FDX, Caixa Nacional e FK
ARTIGO 1º
O controle e a supervisão do Campeonato Brasileiro de S16D FDX, Caixa Nacional e FK, serão exercidos pela Comissão organizadora.
ARTIGO 2º
Todas as questões não previstas neste regulamento serão resolvidas pela Comissão organizadora através de seus membros, que será soberana.
Parágrafo 1º - QUESTÕES TÉCNICAS
Todas as modificações técnicas, aprovadas pela Comissão, serão comunicadas por meio de adendos.
Parágrafo 2º - QUESTÕES DESPORTIVAS
Todas as modificações desportivas, depois de aprovadas pela Comissão, serão comunicadas por meio de adendos.
ARTIGO 3º
Para as provas do Campeonato Brasileiro de S16D FDX, Caixa Nacional e FK a Organização da Prova será atribuída à Loja Speedway Autorama, conforme calendário.
ARTIGO 4º - Da Tomada de tempos, Classificação, e montagem das baterias
Categoria SPRINT S16D Caixa Nacional(Sexta-23/10/2015)
Parágrafo 1º-O grid para a largada será determinado através de tomada de tempo com 60 segundos.
As baterias serão montadas de acordo com a classificação e a montagem das baterias será:
Todos correm entre si abcddcbaabcd. e os vencedores de cada bateria, completando melhores pelo numero total de voltas disputam a final.
Categoria SPRINT S16D FDX(Sábado-24/10/2015)
Parágrafo 1º-O grid para a largada será determinado através de tomada de tempo com 60 segundos.
As baterias serão montadas de acordo com a classificação e a montagem das baterias será:
Até 32 pilotos:Todos correm entre si abcddcbaabcd.. formando as quartas de final.
Acima de 32 pilotos:
Os 16 melhores classificados na tomada de tempo estão diretamente classificados para as quartas de final. Eles serão inseridos nas quartas de final com a estrutura abcddcbaabcddcba.
Os demais correm entre si Em estruturas eliminatórias até que fiquem 16 pilotos classificados para as quartas de final, que serão incluídos na estrutura, sendo que na quartas de final 1 os pilotos das oitavas de final de 1 a 4 se classificam para as quartas de final de 1 a 4 respectivamente.
Os 4 melhores de cada quarta de final avançam para a semifinal, sendo que os pilotos classificados nas quartas de final 1 e 2 formam a semifinal 1 e os pilotos classificados nas quartas de final 3 e 4 formam a semifinal 2.
Os 4 melhores de cada semifinal avançam para a final.
As provas eliminatórias serão realizadas até formarem os 16 pilotos que completam as quartas de final.
Categoria Motor Sorteado (Domingo-25/10/2015)
Parágrafo 1º - O grid para a largada será determinado através de tomada de tempo com 60 segundos.
Os pilotos serão classificados por tempo na ordem crescente, montando-se as baterias no sistema abcddcbaabcddcba(conforme numero de pilotos), dos quais os campeões de cada bateria estão na final, completados pelos pilotos com maior numero de voltas até completar 8 se classificam para a final, caso tenham mais de 8 baterias os 8 melhores vencedores de bateria realizam a final.
A pista será limpa apenas na abertura da loja.
ARTIGO 5º - DURAÇÃO DA PROVA
Etapas eliminatórias, será composta de baterias de 2 minutos com 1,5min de intervalo, onde o piloto percorrerá todas as fendas em sistema de rodízio tipo americano.
Etapas quartas de final e semifinal  será composta de baterias de 3 minutos com 2min de intervalo, onde o piloto percorrerá todas as fendas em sistema de rodízio tipo americano.
Etapa final  será composta de baterias de 4 minutos com 2min de intervalo, onde o piloto percorrerá todas as fendas em sistema de rodízio tipo americano.

A corrida motor sorteado terão todas as baterias de 3 minutos com 2min de intervalo, onde o piloto percorrerá todas as fendas em sistema de rodízio tipo americano.
ARTIGO 6º - RECOLOCAÇÃO DOS CARROS
O Diretor de Prova pode convocar qualquer piloto que não esteja participando para a função de recolocador.
Preferencialmente os pilotos que correm uma bateria recolocam na bateria imediatamente posterior a sua.
O piloto que não exercer a função será excluído da sua bateria.
O piloto que estiver exercendo a função de recolocador não poderá ser substituído, salvo se apresentar comprovação de impedimento à Direção de Prova.
O piloto que não exercer sua função de recolocador e ausentar-se do local da prova sem ter apresentado nenhuma justificativa de impedimento à Direção de Prova, será automaticamente desclassificado na prova seguinte, não cabendo recursos nem justificativas posteriores.
Todo recolocador deverá repor o carro na fenda que corresponder ao adesivo de identificação colocado na parte frontal do veículo.
A função do recolocador é tão somente repor o carro em circulação.
ARTIGO 7º - PREMIAÇÃO
Não serão distribuídos prémios em dinheiro, serão distribuídos troféus ou taças aos 8 (oito) primeiros colocados em cada categoria, e um troféu para a pole position.
ARTIGO 8º - DA PARTICIPAÇÃO
O piloto inscrito na competição é o único responsável pelos seus atos durante o evento, incidindo sobre si as punições que vier a sofrer por infração do presente instrumento.
ARTIGO 9º - INSCRIÇÃO
Todos os pilotos deverão se inscrever antecipadamente preenchendo a "Ficha de Inscrição"
Os valores das inscrições serão de:

ARTIGO 10º - TREINOS OFICIAIS
Os treinos nos dias de prova não terão custos.
ARTIGO 11º - TREINOS LIVRES
As loja patrocinadora do evento poderão abrir dias de treinos para os associados no período que anteceda a prova cobrando uma taxa de R$ 40,00 a diária.
ARTIGO 12º - É proibida a permanência, na área da pista, de qualquer pessoa que não seja piloto e recolocadores.
ARTIGO 13º - CRITÉRIOS
No Campeonato Brasileiro de S16D FDX, Caixa Nacional e FK serão observados os seguintes critérios:
a) Treinos Oficiais somente para pilotos inscritos.
b) Os pilotos inscritos, devem estar presentes, no horário previsto no adendo afixado na loja.
c) O não comparecimento do piloto no local e horário determinado pelo adendo da prova, desobriga a Organização da Prova a esperá-lo para a largada da prova, mesmo que estes horários estejam antecipados.
* Será obrigatória a presença de todos os pilotos antes da tomada de tempo, pois os carros serão vistoriados e apreendidos e liberados para inicio de sua bateria.
ARTIGO 14º - RESULTADOS
Todo e qualquer resultado de uma prova somente será considerado oficial depois de aprovado pelos Comissários Desportivos.
A publicação do resultado deverá preceder em, pelo menos, 20 (vinte) minutos à entrega de prêmios.
ARTIGO 15º - VISTORIAS TÉCNICAS
Validade: Um carro poderá ser vistoriado a qualquer momento durante a prova.
No caso de ser encontrada irregularidade técnica o piloto deverá fazer o conserto do mesmo com pista ligada.

Os preparadores dos pilotos envolvidos deverão estar presentes nas vistorias. Os pilotos cujos carros estiverem em desacordo com as especificações técnicas de suas categorias sofrerão as penalidades pertinentes, previstas deste regulamento.
Serão vistoriados os três primeiros colocados de cada categoria.
ARTIGO 16º - LACRE/IDENTIFICAÇÃO
Os comissários Técnicos, conforme seus próprios critérios, poderão lacrar e/ou identificar os equipamentos, devendo estes ficar à disposição da Comissão Técnica até o término da vistoria final.
Parágrafo único - A violação, a quebra ou a adulteração dos lacres de identificação resultarão na desclassificação sumária do concorrente, da bateria ou da prova.
ARTIGO 17º - PROCEDIMENTOS
O Comissário Técnico da prova, devidamente credenciado pela Comissão procederá à verificação dos carros em local previamente determinado.
A desmontagem das partes quando exigidas será feito por apenas um mecânico, devidamente identificado, indicado pelo piloto e sem nenhum ônus para o organizador ou loja na presença daquele comissário.
As peças deverão ser apresentadas em condições de serem conferidas e medidas.
ARTIGO 18º - PNEUS
Será obrigatória a utilização de pneus indicados pela loja organizadora, lacrado pelo lojista, esse jogo de pneus deverá ser adquirido junto a Loja patrocinadora do evento.
Caso um pneu apresente um defeito, deverá ser apresentado ao Comissário Técnico para comprovação, autorizando-se então a troca por um segundo pneu ou outro par adquirido do lojista e previamente lacrado.
ARTIGO 19º - ASPECTOS ESPECÍFICOS PARA O CAMPEONATO BRASILEIRO S16D FDX, Caixa Nacional e FK:
a) Sendo verificado pelo Diretor de prova a ocorrência de perda de algum item do carro, o piloto será comunicado e deverá repará-lo de imediato, caso estiver pondo em risco os demais competidores.
b) Não será permitido retirar o carro da pista quando a corrida for interrompida por paradas ou problemas técnicos.
c) Ao término da última fenda de cada bateria, é proibido retirar o carro da pista, ou seja, nem piloto nem mecânico podem fazer isso mesmo após a identificação das barras.
d) Para quem não completou a bateria a barra considerada será zero e o carro deve ser entregue na secretaria de prova.
e) Como as pistas utilizam sistema de tape interrompido, o carro que eventualmente estiver sobre o trecho deverá ser levado imediatamente para o local determinado pelo Diretor de prova.
f) É obrigatório o uso do cartão de identificação nas fendas durante os intervalos de troca das mesmas.
g) Somente será permitido o uso de Glubs em spray, fornecido pela loja e aplicado pelo diretor de prova ou auxiliares. Outro tipo de glub será proibido inclusive em jigs.
h) A loja deverá abrir com sua pista limpa, pronta para receber o glub spray e inicio dos treinos.
ARTIGO 20º - PENALIDADES
São infrações ao Regulamento:
a) Toda ofensa direta ou indireta em relação a qualquer pessoa que executa a função de Autoridade de Prova ou Oficiais de Competição.
b) Toda e qualquer manobra intencional tendo por escopo inscrever um veículo/piloto não qualificado.
c) Todo procedimento fraudulento ou manobra desleal que prejudique o caráter esportivo da competição ou interesse do automodelismo.
d) Toda desobediência a qualquer dos artigos deste regulamento.
Todas as infrações a este Regulamento, cometidas pelos seus Organizadores, Oficiais, Agentes de Competição, Concorrentes, Pilotos e afins, poderão ser objeto das seguintes penalidades:
a) Advertência; Sinalizada, Verbal ou Escrita;
b) Perda de posição no "grid";
c) Acréscimo no tempo total;
d) Perda de volta;
e) Impedimento de participação em treino oficial ou parte dele;
f) Perda de posição na ordem de chegada;
g) Multa (independentemente de outras sanções);
h) Exclusão de bateria/prova;

i) Proibição de acesso à área técnica desportiva;
j) Desclassificação da bateria / prova;
Parágrafo único - O piloto é responsável diretamente por todos os atos cometidos por ele, membros de sua equipe, parentes e amigos.
Qualquer infração cometida por uma das pessoas anteriormente citadas, acarretará penalidade ao piloto, conforme este artigo.
SERÁ EXPRESSAMENTE PROIBIDO FUMAR NAS DEPENDÊNCIAS DAS LOJAS DURANTE AS CORRIDAS.
ARTIGO 21º - EMISSÃO DE CHEQUE SEM PROVIMENTO DE FUNDOS
O concorrente que efetuar pagamentos, à LOJA ou ao CLUBE ORGANIZADOR, com cheque sem provisão de fundos, de sua emissão ou de terceiros, ou sustar o pagamento do mesmo, terá a sua participação em outros eventos suspensa, até a quitação de seu débito e sem prejuízo de outras sanções.
ARTIGO 22º - RECLAMAÇÕES
Procedimentos: As reclamações técnicas e desportivas somente poderão ser impetradas por concorrentes da mesma prova e da mesma categoria, devendo ser apresentadas por escrito e acompanhadas da respectiva caução, até 30 minutos após a divulgação do resultado oficial.
a) Se a reclamação for procedente, o reclamante receberá a título de devolução o valor correspondente aos itens reclamados.
b) Se a reclamação for improcedente, o piloto reclamado não terá direito a receber o a importância referente aos itens reclamados.
ARTIGO 23º - TAXAS
A taxa de reclamação técnica, para cada item reclamado, será de R$ 150,00 (cem e cinquenta reais).
ARTIGO 24º - Casos omissos a este regulamento, serão analisados julgados pela Comissão, cuja decisão será soberana, não cabendo recurso sobre a mesma.

 

 

 

1º Campeonato brasileiro de protótipos com motor FK (vide programa em Calendário)

REGULAMENTOTÉCNICO                                                                                                      
CHASSI:                        Qualquer chassi de arame/latão – fabricação Nacional – sem modificações na sua estrutura original ( retirar, mesmo que parcialmente, ou adicionar componentes )
                                                               É permitido o reposicionamento do motor brace, suporte do guia e pin tube
                                                               É permitido o lastreamento com chumbo.
DIMENSIONAL:            BITOLA TRASEIRA:                          82,6 mm máximo
                                                               ALTURA CHASSI x PISTA:             0,6 mm    mínimo
                                                               ALTURA BOLHA SPRINT:              40,0 mm máximo ( em relação ao chão da pista )
                                                               ALTURA BOLHA ENDURANCE:   35,0 mm máximo ( em relação ao chão da pista )                                                              
TRANSMISSÃO:           MOTOR:              PRO-SLOT FK – fornecido pela organização – Lacrado ( motores com violação no lacre, independente das causas serão desclassificados )
                                                               PNEU:                   RED FOX – fornecido pela organização – Lacrado ( pneus sem lacre, serão desclassificados )
                                                               EIXO:                    3/32 sólidos
                                                               COROA:               Pitch 64 – reta ou angular
                                                               PINHÃO:             Pitch 64 – reto ou angular
                                                               BUCHA:               De BRONZE – PROIBIDO O USO DE ROLAMENTOS
BOLHA:                         SPRINT:               RED FOX PEUGEOT C – Lacrada ( bolha sem lacre, serão desclassificados )
                                                               ENDURANCE:    RED FOX DTM – Lacrada ( bolha sem lacre, serão desclassificados )
ELÉTRICA:                    CONTATO:          liberado
                                                               GUIA:                   liberado
                                                               FIO:                       somente do tipo flexível
                                                               RABICHO:           PROIBIDO
                                                              
               REGULAMENTO DESPORTIVO 
PROIBIDO:                              USO DE GLUB ( PLAQUINHA ou  NA PISTA ) – A pista será limpa e glubada na 5ª-feira dia 5

PERMITIDO:                          Lubrificação do carro, limpeza de pneus, voodoo.
CORRIDA:                                   ENDURANCE DE DUPLAS
8 fendas de 7,50 minutos cada – toda bateria já é final.
                                                               120 seg. entre fendas para troca de pista
SPRINT E ENDURANCE INDIVIDUAL:
8 fendas de 3 minutos cada – para 4ªs de final e semifinal.
                                                               8 fendas de 4 minutos cada – para a final.
                                                               120 seg. entre fendas para troca de pista                                              
PARADA PISTA:                   Somente em casos de: FENDA; RETA ( entre os pits), CHÃO e TUNEL com recomeço assim que o carro estiver na mão do recolocador.
                                                               Em nenhuma hipótese será parada a pista para manutenção de qualquer espécie ( acelerador, carro, piloto fora, etc ).
RECOLOCAÇÃO:          A cargo dos pilotos que não estiverem correndo, sendo obrigatório a todos os participantes até o final do dia.
FORMA DE DISPUTA:   PADRÃO ISRA                                                              
ENDURANCE DE DUPLAS
Tomada de tempo para determinação do grid de largada conforme padrão SNAKE NASCAR
Tomada de tempo realizada por apenas 1 piloto da equipe, com duração de 2 minutos.
A classificação da tomada de tempo, será por DISTÂNCIA PERCORRIDA e não por volta mais rápida.
As baterias correm na ordem de montagem (A, B, C,....)
Toda bateria já é FINAL.
Cada competidor é obrigado a correr 4 fendas completas, comprovadas por assinatura na sumula, ao término de cada fenda.
Cada equipe determina qual fenda será disputada por qual seu piloto ( A ou B ), não sendo obrigatória a participação ser de forma sequencial.
Ao início de cada fenda, a sumula terá os campos em brancos ( sem assinatura ) da fenda anterior cancelados.
A equipe que não apresentar 8 assinaturas, sendo 4 de cada piloto, estará desclassificada !

 


SPRINT E ENDURANCE INDIVIDUAL:
Todos pilotos já entram nas 4ªs de final
                                                               Tomada de tempo para determinação do grid de largada conforme padrão SNAKE NASCAR
                                                               Tomada de tempo com duração de 1 minuto.
                                                               Tomada de tempo SPRINT: vale a volta mais rápida.
                                                               Tomada de tempo ENDURANCE INDIVIDUAL: vale a distância percorrida.
                                                               As baterias correm na ordem de montagem (A, B, C,....)
                                                               Classificam-se os 16 melhores pilotos para as semifinais
                                                               Grid montado conforme padrão SNAKE NASCAR
                                                               As baterias correm na ordem de montagem (A, B )
                                                               Classificam-se os 8 melhores pilotos para as finais
                                                               Grid montado conforme classificação ordem de fenda – 1º vermelha, 2º branca e assim sucessivamente.

 


DIREÇÃO DE PROVA:  NASCAR SLOT CAR e RED FOX
                                                               Com decisões soberanas e definitivas sobre:
                                                                              - casos omissos do presente regulamento
                                                                              - incidentes de corrida
                                                                              - atitudes antidesportivas
                                                                              - punições
                                                                              - outros casos onde se fizer necessário sua intervenção para resolução de conflitos.
PUNIÇÕES:                   TÉCNICAS:
- Desclassificação ( por inspeção – NÃO CUMPRIMENTO DO REGULAMENTO TÉCNICO ) cabendo nova apresentação do carro:
- se houver tempo hábil para tal (antes da corrida) sem prejuízo do cronograma de atividades.
- não for após realização de corrida, onde o participante já tenha obtido vantagem pela irregularidade.
                                                               ADMINISTRATIVAS:
- Advertência verbal
                                                               - Perda de 5 voltas na classificação da fase em curso ( 4ªs, semi ou final )
                                                               - Perda de 10 voltas na classificação da fase em curso ( 4ªs, semi ou final )
                                                               - Perda de 20 voltas na classificação da fase em curso ( 4ªs, semi ou final )
                                                               - Desclassificação ( equivalente a bandeira PRETA )

                                                               Dependendo da gravidade da falta, a direção de prova pode aplicar qualquer das punições administrativas, sem respeitar a sua ordem lógica.                                                        
INSCRIÇÕES                                                                                                            A serem realizadas na loja NASCAR SLOT CAR até o inicio da tomada de tempo de cada categoria.
ENDURANCE:              R$ 200,00 / dupla com direito a:
DUPLAS                                                  - MOTOR PRO SLOT FK, novo, LACRADO pela organização.
                                                                              - PAR PNEUS RED FOX, novo, LACRADO pela organização.
                                                                              - BOLHA RED FOX DTM , pintada, nova, LACRADA pela organização.
SPRINT:                        R$ 150,00 / participante com direito a:
                                                                              - MOTOR PRO SLOT FK, novo, LACRADO pela organização.
                                                                              - PAR PNEUS RED FOX, novo, LACRADO pela organização.
                                                                              - BOLHA RED FOX PEUGEOT C , pintada, nova, LACRADA pela organização.
ENDURANCE:              R$ 150,00 / participante com direito a:
INDIVIDUAL                                           - MOTOR PRO SLOT FK, novo, LACRADO pela organização.
                                                                              - PAR PNEUS RED FOX, novo, LACRADO pela organização.
                                                                              - BOLHA RED FOX DTM , pintada, nova, LACRADA pela organização.                                                              
                                                               Ou para quem tenha participado do SPRINT:
                                                               R$ 100,00 / participante com direito a:
- PAR PNEUS RED FOX, novo, LACRADO pela organização.
                                                                               - BOLHA RED FOX DTM , pintada, nova, LACRADA pela organização.
ITENS EXTRAS:           Será liberado a compra, dos itens lacrados, de forma avulsa como segue:
                                                               BOLHA:                R$ 40,00
                                                               PNEU:                  R$ 50,00
                                                               MOTOR:              R$ 70,00                                                                             
PREMIAÇÃO:                          Troféu aos 8 primeiros colocados e para o pole-position de cada categoria.

 

 

 

Campeonato CAR 2010 – GTR

GTR Championship doClube dos Amigos de Réplicas 
Apoio: Oficina do Autorama
CAPITULO I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Artigo 1º - Este Regulamento aplica-se ao Campeonato de Réplicas, do ano de 2010, na         categoria GTR (Gran Touring Racing), organizado pelo Clube dos Amigos de Réplicas – CAR.
 § 1º - Serão admitidas, na categoria, réplicas de carros reais, homologados para participação em campeonatos da FIA, GTS (GT1), (GT2) e (GT3), JCS, comercializadas apenas pelo fabricante SCX.    Proibido os modelos PRO da SCX.
Artigo 2º - Em cada prova correrão os carros da categoria GTR. A mesma terá a duração de 24 minutos sendo 3 minutos para cada fenda e 2 minutos de intervalo entre elas.
Artigo 3º - O CAR fornecerá troféus aos três (3) primeiros colocados em cada prova. Ao final do campeonato haverá premiação para aos seis (6) primeiros colocados e, também, para a equipe campeã.
Artigo 4º - O CAR é o responsável pela coordenação da prova, cabendo a ele a indicação do Diretor da Prova, que será a autoridade competente para o fiel cumprimento dos horários estabelecidos e dos itens do presente regulamento.
                        § 1º Fica, a critério do CAR, o cancelamento da condição de piloto convidado, sempre que o mesmo infringir qualquer artigo deste regulamento ou mesmo as normas de conduta do clube.
Artigo 5º - Os pilotos são os únicos responsáveis pelos seus atos durante o evento, incidindo sobre os mesmos as punições que vierem a sofrer por infração do presente regulamento.
Artigo 6º - Inscrições
            § 1º - As equipes, caso existam, deverão ser determinadas pelos pilotos no início de suas participações.  E somente dois pilotos por equipe.
          
 § 2º - Só serão aceitas inscrições dos associados convidados que estiverem de posse de suas credenciais permanentes do ano de 2010. A carteirinha de associado perdeu sua validade no dia 31 de dezembro de 2009.
§ 3º - O valor da inscrição será de R$ 30,00 (trinta reais), para cada etapa, com o pagamento sendo feito na hora da inscrição.

C
APITULO II - PARTE TÉCNICA
SEÇÃO I - MOTORES E TRANSMISSÃO

Artigo 7º - Os motores homologados são, exclusivamente, os RX 42B da SCX.
§ Único – No ato da inscrição, cada piloto deve entregar a comissão de prova, 01 motor RX 42B, dentro do limite de 23.000 a 24.000 RPM. Esse motor será testado no dinamômetro. Caso esteja dentro da especificação, à inscrição está aceita. Caso o motor não alcance, ou ultrapasse, o número de rotações, o mesmo será devolvido ao piloto, para que o substitua por outro, até que entregue um motor dentro das especificações. Encerrada essa fase, a Comissão de Prova promoverá o sorteio desses motores entre os pilotos inscritos. Ao final da etapa o piloto receberá seu motor de volta. 
 Os motores serão fixados (soldados) aos carros pelos comissários de prova autorizados pelo   CAR.
Não é permitido que os pilotos treinem com os motores antes da corrida.
Não é permitido o uso de aditivos nos motores, pena de desclassificação da prova.
Não é permitido lubrificar os motores. Os mesmos já devem vir lubrificados.
No caso de um motor cair de rendimento, o piloto deverá parar imediatamente sob pena de, caso o mesmo se queime, ou seja, causador de  algum dano, pagar por um novo motor.   
                                                 
SEÇÃO II – TRANSMISSÃO 
Artigo 8º -  É permitido o uso apenas de pitch 48, original de fabricação SCX.  Será permitido o uso de coroas SCX Pro (conforme Foto). A relação terá de ser 27 X 9. Razão 3.000

SEÇÃO III – CHASSI 

Artigo 9º - É permitida apenas a utilização do chassi original do modelo, sem qualquer modificação.
                § 1º - Não é permitido o uso de rolamento.
Artigo 10º - Durante a prova o piloto deverá ter atenção especial à altura do carro para que não arraste o chassi na pista, sob pena de punição.
Artigo 11º - Não é permitida a troca de chassi durante a prova.

SEÇÃO IV – ÍMà

Artigo 12º - Será permitido o uso de um ímã na frente do carro, colado no chassi, e na traseira, na posição original do ímã, 2 ímãs de 12 x 6 x 3 mm ou apenas 1 ímã de 25 x 6 x 3 mm (vendidos na loja Of. do Autorama).

SEÇÃO V – CARROCERIA

Artigo 13º - O modelo do carro é GT, desde que seja da marca SCX.
            § Único - Não será permitido corte em qualquer local da carroceria, seja ele por qualquer razão. Nos chassis que por ventura tenham sido utilizados no ano de 2007, os mesmo poderão ser remendados no local onde era permitido abrir o buraco do 2º imã, mantido o peso original do carro.
Artigo 14º - Não será permitida a troca de carroceria durante a prova.
Artigo 15º - É obrigatório manter todos os componentes da carroceria e interior originais
 Não é permitida qualquer alteração no interior da carroceria.
Para a corrida é permitido retirar aerofólio, retrovisores e antenas
A carroceria não pode ter nenhum artifício que não seja original da SCX, como cobrir as rodas com lexan, ou similares.
               
Artigo 16º - O habitáculo é considerado parte integrante da carroceria, devendo manter-se como foi originalmente fornecido.
Artigo 17º - Deve ser mantida a figura tridimensional do piloto original do modelo.

SEÇÃO VI - EIXO, RODAS, PNEUS  E OUTROS COMPONENTES

Artigo 18º – Só serão permitidos o uso de pneus originais da marca SCX, incluindo a borracha do Domme Judd. É proibida a utilização de produtos ou processos para amolecimento da borracha dos pneus (ponto passivo de impedimento de participação na prova). Será permitido o uso de rodas de alumínio, dentro da bitola do carro. O associado convidado (piloto) que for pego em qualquer tentativa de burlar o regulamento, estará automaticamente excluído da prova e receberá uma prova de suspensão.
                § Único – As quatro rodas do carro devem tocar a pista e girarem livremente.
Artigo 19º - A bitola será de 64mm para os modelos (Ferrari 360/430/550/575), (Aston Martin DBR9), (Corvette C6R/Z6R) e 61mm para (Porsche 997), Morgan (Aero) e 66mm para o Seat Cupra GT, em casos de lançamentos os mesmos serão apreciados pela comissão técnica e liberada a respectiva bitola.
Artigo 20º - Demais componentes devem atender às seguintes normas:
O eixo pode ser substituído por outro semelhante de livre fabricação e procedência, não sendo permitido o uso de eixos vazados. Os eixos utilizados serão os de bitola 3/32’; Não poderá haver alterações no mesmo as rodas terão que rodar livremente.
         b) A guia permitida é a de fabricação SCX do modelo;
As buchas podem ser coladas nos seus respectivos suportes ou serem substituídas por buchas de latão tipo carretel;
Os fios para conexão no motor não poderão ser do tipo rígido.
Artigo 21º – Todos os carros deverão ter o peso mínimo igual ao original da réplica (observar tabela em anexo no final deste regulamento).

CAPITULO III - PROCEDIMENTOS DE CLASSIFICAÇÃO E CORRIDA

SEÇÃO I – VISTORIAS

Artigo 22º - A vistoria se iniciará no horário marcado. Todos os carros serão entregues mediante chamada para colocação do motor sorteado e somente então, inspecionados. A partir da vistoria, os carros ficarão sob a guarda do CAR até o início da corrida.  A inspeção será feita por pessoas autorizadas pelo Diretor de Prova, conforme as especificações técnicas constantes no presente regulamento sendo composta de:   

  1. Inspeção e lacre da carroceria com verificação de seu interior;
  2. Inspeção da altura do chassi e ímãs com relação a pista;
  3. Inspeção e lacre do chassi
  4. Inspeção e lacre dos motores
  5.  Inspeção da bitola do carro.        
  6. Inspeção e lacre da fixação do motor no carro.
  7. Inspeção de todos itens originais do carro.
  8. Fechamento do carro e lacre.

Artigo 23º - Os carros poderão ser vistoriados a qualquer momento durante a realização das baterias, pelo Diretor de Prova e, a não observação dos lacres de motor, chassi, carroceria ou componentes, implicará na desclassificação da prova, não importando o motivo alegado.
Artigo 24º - Ao final da prova, os carros dos 3 (três) primeiros colocados poderão ser vistoriados.

SEÇÃO II – ELIMINATÓRIA /CLASSIFICAÇÃO

Artigo 25º -  A tomada de tempo será feita contra o relógio considerando-se a melhor volta obtida em 1 min.
§ 1º - O tempo será tomado na fenda a ser informada pelo CAR no momento do sorteio dos motores. Caso ocorra algum problema com esta fenda, o tempo será tomado em nova fenda a ser determinada pelo CAR.
§ 2º - O critério de classificação será do menor para o maior tempo, cabendo, desta forma, a pole position ao tempo mais baixo.

SEÇÃO III – BATERIAS

Artigo 26º - Cada bateria é final e o piloto deve correr em todas as fendas da pista com rodízio seguindo o sistema americano.
          § 1º – O número máximo de pilotos será de 24 por etapa ( no máximo 3 (três) baterias). 
§ 2º - O tempo de corrida em cada fenda será de 3 minutos por 2 minutos de intervalo.
       § 3º - Nos casos de envolvimento de vários carros em batida ou de difícil acesso para recolocar o carro na fenda, a pista será desligada até a desobstrução da mesma, quando então o Diretor de Prova avisará e a religará.  No caso de algum carro sair da pista e cair no chão no lado interno da mesma, a pista também será desligada para que um recolocador possa retirá-lo e será religada tão logo o recolocador esteja no seu lugar e o carro na pista.
Artigo 27º - Sendo verificada pelo Diretor de Prova a ocorrência de perda de algum item do carro, como rodas dianteiras ou de identificação de fenda, o piloto será comunicado e deverá repará-lo de imediato caso ponha em risco os demais competidores, ou para a próxima fenda da etapa que estiver participando.
Artigo 28º - Não será permitido retirar o carro da pista quando a corrida for interrompida por paradas ou problemas técnicos (interrupção para vistoria, punição, irregularidades, etc.).
Artigo 29º -  Na última fenda da prova todos os carros devem permanecer na pista até serem liberados pelo Diretor de Prova. A manutenção poderá ser feita durante a prova.  
Artigo 30º - Como as pistas utilizam o sistema de tape interrompido, o carro que eventualmente estiver sobre esse trecho, quando houver uma paralisação por qualquer motivo, será arrastado imediatamente para o local determinado pelo Diretor de Prova.
Artigo 31º – O jig, para limpeza dos pneus, será cedido pelo CAR e somente este poderá ser utilizado durante a corrida.

SEÇÃO IV - RECOLOCAÇÃO DOS CARROS

Artigo 32º - Todos os pilotos que não estiverem participando da bateria corrente poderão ser convocados para a função de recolocadores pelo diretor da prova.
            § 1º - Os pilotos da última bateria serão convocados como recolocadores na primeira bateria. A partir daí serão recolocadores da segunda os que correram na primeira, e assim sucessivamente, até que os da última tenham como recolocadores os da penúltima bateria;
            § 2º -  O piloto que não exercer a função de recolocador na etapa terá descontado 10 pontos na sua pontuação total no campeonato referente à etapa em que infringiu o regulamento;
            § 3º - Nenhum piloto exercendo a função de recolocador poderá ser substituído por outra pessoa, mesmo que esta esteja também inscrita no evento, salvo com aceitação do Diretor de Prova, após comprovação de impedimento ou força maior.
Artigo 33º - O recolocador é obrigado a permanecer em seu posto durante a corrida, recolocando o carro na fenda no lugar onde este saiu e de acordo com a cor do adesivo de identificação que estiver colado na sua parte dianteira.
Artigo 34º - O recolocador não fará manutenção de espécie alguma nos carros, tais como arrumar os contatos, desamassar carroceria, apertar a coroa ou os pneus traseiros ou outro problema qualquer. Ocorrendo algum problema com o carro o recolocador o entregará imediatamente a um componente da equipe cujo carro apresentou problema ou a seu piloto.  
Observação: Lembramos a todos que os recolocadores estão ali para ajudarem, a obrigação de ficar na pista e não sair toda hora é dos pilotos.

SEÇÃO V - PONTUAÇÃO DO CAMPEONATO 

Artigo 35º - A pontuação continua como no ano passado, com os pontos sendo dados somente aos 10 primeiros colocados.

  1º colocado - 12 pontos
  2º colocado - 10 pontos
  3º colocado -   8 pontos
  4º colocado -   7 pontos
  5º colocado -   6 pontos
  6º colocado -   5 pontos
  7º colocado -   4 pontos
  8º colocado -   3 pontos
  9º colocado -   2 pontos
10º colocado -   1 ponto.
Serão atribuídos 2 (dois) pontos extras ao pole position da etapa;
Será atribuído 1 (um) ponto ao vencedor da bateria, desde que não seja o vencedor da etapa;
O piloto que não completar 50% das voltas do vencedor, não pontuará na etapa;
Haverá descarte de 2 (dois) piores resultados. (Valendo o que você não tenha participado).
OBS: Caso o piloto seja desclassificado da etapa, essa NÃO poderá ser considerada como DESCARTE
Artigo 37º - No início da prova a pista será ligada pelo tempo de 2 (dois) minutos para treino de aquecimento e acertos finais dos carros, findo os quais a prova se iniciará imediatamente, com qualquer número de carros no grid de largada.

a) Treinos Livres:

                  de 11:30 h às 13:00 h

b) Inscrições (pgto adiantado) e Sorteio dos motores RX 42 B

                  de 13:00 h   às 13:30 h

c) Entrega carros p/ inspeção e instalação do motor sorteado

                  de 13:31 h as 13:50 h

d) Classificação

                             14h

e) Início:

         Logo após o termino da classificatória

 

Aston Martim DFR9

89,6 grams

Corvette C 6 R

90,1 grams

Morgan Aero GT1

 

Ferrari 360 Modena

93,3 grams

Ferrari 550 Maranello

90,1 grams

Ferrari 430 GT3

93,3 grams

Porsche 997 GT3 c/ eixo dianteiro
Sem o eixo dianteiro

91,6 grams

85,3 grams

Seat Cupra GT

93,0 Grams

CAMPEONATO DE TURISMO/DTM - TOP RACE

Básicamente, a única diferença está abaixo:

Seat Leon (todos)

83,3 gramas

Honda Accord (todos)

86,7 gramas

Volvo S60R

86,5 gramas

Mercedes Benz Klass(Todas)

89,2 gramas

Opel Vectra GTS V8

89,2 gramas

Opel Astra GTS V8 (todos)

86,5 gramas

Subaru Impressa (V.Rossi)     

91,0 gramas

Audi A4 (todos)

89,4 gramas

BMW 380i (Todos)

86,9 gramas

Alfa Romeo 556

86,4 gramas

Skoda

83,3 gramas

Peugeot 307

81,9 gramas

Mitsubitch Lancer

86,9 gramas

Citroen C2

83,5 gramas

Suzuki Swift

76,3 gramas

Ford Focus

91,2 gramas

Citroen Xzara

80,0 gramas

Escort RS

86,0 gramas

Citroen C4

87,8 gramas

Será permitido o uso de coroas Slot.it de 27d em ambos os campeonatos.


 

CAMPEONATO DE NASCAR – TURISMO – DTM  2009
Será realizado um Campeonato para carros SCX nas categorias NASCAR, TURISMO E DTM constante de 3 etapas na pista da Brothers Slot Car, com organização da JC Borges Racing e realização da Brothers Slot Car Club. 
Carros : modelos Nascar, Turismo e DTM, de  fabricação SCX ( modelos antigos e novos, sendo proibidos os do tipo Pró.
Motor :  SCX  e SLOT IT com até  24.500 RPM  a 12 volts, medidos pela organização.
Chassi :  Original  sem recortes ou furos; se houver algum, deverá ser fechado com mesmo material do chassi.
Guia : original do modelo
Carroceria : original com cockpit  e piloto.
Eixos : 3/32
Pinhão : original  9 d.
Coroa : original  27 d , que pode ser substituída pela de alumínio/bronze verde SCX ou preta da SLOT IT,  27 d
Rodas : originais de plástico ou de alumínio
Pneus : dianteiro - qualquer modelo da SCX;
                traseiro - qualquer modelo SCX , e  pneu Competition.
Bitola máxima:   67 mm. ( NASCAR );
          máxima:   61 mm  ( TURISMO/DTM).
           Máxima   64 mm  ( HONDA ACOORD )
Ímãs : traseiro - 2 ímãs pequenos faceados lado a lado ou um ímã retangular, na caixa do original atrás do motor e colados na linha do chassi. (2 ímãs 12 X 6 X 3 mm ou único  25 x 6 x 3 mm)
           dianteiro –  1 ímã dianteiro, sobre o chassi, sem furar o mesmo, sendo opcional o seu uso.
Corrida : 3 minutos por fenda com 2 minutos de intervalo para as 8 fendas
Pontuação:
         Pole position   1 p

1º lugar  12 p           
2º lugar  10 p
3º lugar  8  p
4º lugar  7 p
5º lugar  6 p
6º lugar  5 p
7º lugar  4  p
8º lugar 3  p
9º lugar 2 p
10 lugar  1 p
 daí em diante 1 ponto cada.
Sem descarte
Tabela de pesos:


Alfa Romeo       

86,4 g

Audi A4             

89,4 g

BMW

86,9 g

Mercedes Benz  

89,2  g

Opel Astra          

86,8 g

Opel Vectra        

89,2 g

Seat Leon           

83,0 g

Volvo

87,0 g

Ford  Sierra        
HONDA ACOORD

86,0 g      
87,0 g

Nascar

94,0 g

Haverá premiação para os três (3) primeiros colocados em cada prova.
Datas de sugestão: últimos sábados do mês:
1º etapa            – 29/08 Sabado
2º etapa            -  31/10 Sabado
3º etapa            - 19/12  Sabado


I Copa Sudeste de Autorama

A partir da experiência acumulada nos últimos três anos com extremo sucesso da realização do Racing Day BH Autorama. a Red Fox, a Topslot e a BH Autorama resolveram se unir para promover um campeonato que integre regiões de destaque no automodelismo nacional, que promova de forma mais ampla um campeonato por equipes, e por fim tentar perenizar no calendário nacional uma prova elaborada e disputada em moldes bastante diferenciados.
CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Artigo 1º - Este Regulamento aplica-se a I Copa Sudeste de Autorama para automodelos de fenda, na escala 1:24, organizado por BH Autorama, Red Fox e Topslot.
Artigo 2º - O BH Autorama, a Red Fox e a Topslot são responsáveis pela coordenação das provas, indicando o Diretor da Prova, que será a autoridade competente para o fiel cumprimento dos horários estabelecidos e dos itens do presente regulamento. O Diretor da Prova será único.
Artigo 3º - O piloto inscrito na competição é o único responsável pelos seus atos durante o evento, incidindo somente sobre si as punições que vier a sofrer por infração do presente regulamento.
CAPITULO II DA PARTE TÉCNICA
Artigo 1º - Serão usados como base das características técnicas dos carros e das penalizações os regulamentos dos Campeonatos Brasileiros de Protótipos 2008. Por isso, o regulamento aplicável às corridas será o supracitado, exceto pelos pontos abaixo discriminados. O mesmo estará afixado no dia da competição no mural da loja.
•  As carrocerias serão as mesmas para todos os carros de acordo com a categoria. As bolhas com a mesma pintura para todos os pilotos da mesma equipe e os pneus dos Grupos S16D e 12 serão fornecidos pelas lojas.

•  Carroceria Super 16D à Peugeot 908 Red Fox
•  Carroceria Grupo 12 Sprint à BMW Proparts
•  Carroceria Grupo 27 Eurosport à Bugatti Proparts
•  Carroceria Grupo 12 GT à BMW Proparts / Ford GT 40 (noturna)
•  No caso da prova noturna, será obrigatória a instalação de três lâmpadas no carro, duas na dianteira e uma na traseira.
•  Pneu Super 16D à Red Fox
•  Pneu Grupo 12 Sprint à Red Fox
•  Pneu Grupo 27 Eurosport à Preto Livre
•  Pneu Grupo 12 GT à Preto Livre  

3. Será permitido o uso de set ups nacionais com induzido .560 Proslot, além dos set ups Parma e FDX para o motor de Super 16D.
4. Para os motores dos carros de G12 será permitido o uso de induzidos .540.
5. Os chassis permitidos para a competição serão os modelos homologados para 2008
Chassi TWP homologado com 112mm (o carro pode medir entre 110mm e 114 mm )
Chassi Proparts homologado com 113,00mm (o carro pode medir entre 111mm e 115mm)
Chassi B52 homologado com 112mm (o carro pode medir entre 110mm e 114mm)
Chassi Lynx homologado com 112,7mm (o carro pode medir entre 110,7mm e 114,7 mm )
Chassi Red Fox homologado com 112,00mm (o carro pode medir entre 110,00mm e 114mm )

CAPITULO III ORGANIZAÇÃO DO EVENTO
A rtigo 1º - O campeonato será disputado por equipes, com cada equipe tendo 3 pilotos, um para cada categoria a ser disputada.
1. Será permitida a substituição de um, e somente um dos três pilotos inscritos na primeira etapa, na segunda e terceira etapas.
Artigo 2º - As categorias são as seguintes: Super 16D, Gr upo 12 Sprint, Grupo 27 Eurosport e Mini Endurance Grupo 12 GT. Na etapa da Red Fox a Endurance terá a característica de prova noturna.
Artigo 3º - Não será permitida a participação do mesmo piloto em mais de uma das seguintes provas Super 16D, Gr upo 12 Sprint, Grupo 27 Eurosport , ou seja, cada equipe deverá ter três pilotos inscritos.
Artigo 4º - Da mesma forma, todos os pilotos da equipe deverão estar presentes na Mini Endurance .
Artigo 5º - Realização de sorteio para largada de todas as provas. Não haverá tomada de tempo.
Artigo 6º - Independente do número de equipes inscritas haverá somente uma bateria. Com mais de oito equipes será utilizado o sistema de duplo deck, com saídas na branca e na roxa.
Artigo 7º - Todas as baterias serão finais.
Artigo 8º - Todas as equipes se obrigam a ter um piloto da equipe efetuando a recolocação quando um dos seus estiver correndo.
Artigo 9º - A prova Mini Endurance de Grupo 12 GT terá uma hora de duração e na Red Fox será disputada no formato noturna. Artigo 10º - Datas e horários de realização das provas.
Data
13/06 Topslot Rio de Janeiro
15/08 BH Autorama Belo Horizonte
30/10 Red Fox São Paulo 

Horários
Primeira Bateria (Super 16D): 12:00 horas
Segunda Bateria (Grupo 12 Sprint): 14:00 horas
Terceira Bateria (Grupo 27 Eurosport): 16:00 horas
Mini Endurance (Grupo 12): 18 horas

CAPITULO IV DA INSCRIÇÃO
Artigo 1º - Valor de R$60,00 por piloto.
Artigo 2º - Entrega de troféus para as equipes que obtiverem a maior somatória de pontos por etapa. Ao final, troféus para os integrantes das três equipes mais bem colocadas.
Artigo 3º - Os brindes do torneio serão distribuídos na etapa final na Red Fox em São Paulo.

CAPITULO V DA PONTUAÇÃO

-  45 pontos

-  30 pontos

11º

-  20 pontos

16º

-  10 pontos

-  42 pontos

-  28 pontos

12º

-  18 pontos

17º

-  10 pontos

-  39 pontos

-  26 pontos

13º

-  16 pontos

18º

-  10 pontos

-  36 pontos

-  24 pontos

14º

-  14 pontos

19º

-  10 pontos

-  33 pontos

10º

-  22 pontos

15º

-  12 pontos

20º

-  10 pontos

  Artigo 1º - Em caso de empate entre equipes o seguinte critério será usado para o desempate: pontuação do Grupo 27 (Peso 3), do Grupo 12 (Peso 2) e do Super 16D (Peso 1)
Artigo 2º - Caso persista o empate, o somatório de voltas das equipes na prova de endurance será levado em consideração.


http://www.brothersslotcar.com.br/image8681.gif Campeonato de GTR SCX da Brothers Slot Car

Gran Touring Racing

CAPITULO I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

  Artigo 1º - Este Regulamento aplica-se ao Campeonato de 2009 de réplicas na categoria GT, denominado por este clube de GTR ( Gran Touring Racing), organizado pela Brothers slot car . Serão admitidos, na categoria, réplicas de carros reais homologados para participação em campeonatos da FIA, GTS (GT1).(GT2) e (GT3), JCS, comercializadas pelo fabricante SCX ou similar dentro da expecificações . Proibido os modelos PRO da SCX .
Artigo 2º - Em cada prova correrão os carros da categoria GTR que terá a duração de 40 minutos sendo 5 minutos para cada fenda e 2 minuto de intervalo entre elas.   Artigo 3º - A Brothers fornecerá medalhas aos três (3) primeiros colocados em cada prova e ao final do campeonato aos cinco (5) primeiros colocados, além de medalhas á equipe campeã do Torneio.
  Artigo 4º - A Direção de prova é a responsável pela coordenação da prova, cabendo a ela a indicação do Diretor da Prova, que será a autoridade competente para o fiel cumprimento dos horários estabelecidos e dos itens do presente regulamento.
Artigo 5º - Os pilotos são os únicos responsáveis pelos seus atos durante o evento, incidindo sobre os mesmos as punições que vierem a sofrer por infração do presente regulamento.
  Artigo 6º - Inscrições
§ 1º - As equipes, caso existam, deverão ser determinadas pelos pilotos no início de suas participações. E somente dois por equipe.
§ 2º - O valor da inscrição será de R$ 30,00 ( trinta reais), para cada etapa, com o pagamento sendo feito na hora do sorteio dos motores..

CAPITULO II - PARTE TÉCNICA
SEÇÃO I - MOTORES E TRANSMISSÃO
Artigo 7º - Os motores homologados são exclusivamente os Turbo plus/ Pro turbo 4x4 cortando o eixo do induzido e / ou motores equivalentes preparados pela Direção do campeonato

Cada piloto comprará ou cederá um motor e o mesmo ficará sob guarda do Clube que, antes de cada etapa, sorteará um motor para cada piloto inscrito, pouco antes da tomada de tempo. Ao final do campeonato o piloto receberá seu motor de volta.
Não é permitido que os pilotos treinem com os motores antes da corrida.
Não é permitido o uso de aditivos nos motores, pena de desclassificação da prova.
Não é permitido lubrificar os motores. Os mesmos já virão lubrificados a cada etapa.
A manutenção dos motores será feita exclusivamente pela Direção do campeonato. Por isso, fica proibido, a qualquer pretexto a lavagem dos motores por terceiros não autorizados.
No caso de queima ou quebra que prejudique o rendimento de um motor, Será substituido por outro de mesma marca e tipo.
No caso de um motor cair de rendimento, o piloto deverá parar imediatamente sob pena de, caso o mesmo se queime ou seja causador de algum dano, pagar por um novo motor.

SEÇÃO II TRANSMISSÃO  

Artigo 8º: É permitido o uso apenas de pitch 48, original de fabricação SCX. será permitido o uso de coroas SCX Pro (conforme Foto). A relação terá de ser 27 X 9. Razão 3.000


SEÇÃO II - CHASSI  

Artigo 9º - É permitido apenas a utilização do chassi original do modelo, sem qualquer modificação.
  § 1º - Não é permitido o uso de rolamento.
 Artigo 10º - Durante a prova o piloto deverá ter atenção especial à altura do carro para que não arraste o chassi na pista, sob pena de punição.
  Artigo 11º - Não é permitida a troca de chassi nem de carroceria durante a prova.

SEÇÃO III ÍMÃ  

Artigo 12º - Será permitido o uso de um ímã na frente do carro, colado no chassi, e na traseira, na posição original do ímã, 2 ímãs de 12 x 6 x 3 mm ou apenas 1 ímã de 25 x 6 x 3 mm.

SEÇÃO IV - CARROCERIA

Artigo 14º - O modelo do carro é GT, desde que seja da marca SCX, Scalextric ou outro que venha a ter a configurações características iguais ou semelhantes aos SCX.
            § Único - Não será permitido corte em qualquer local da carroceria, seja ele por qualquer razão. Nos chassis que por ventura tenham sido utilizados no ano de 2007, os mesmo poderão ser remendados no local onde era permitido abrir o buraco do 2º imã, mantido o peso original do carro.
  Artigo 15º - Não será permitida a troca de carroceria durante a prova.
Artigo 16º - É obrigatório manter todos os componentes da carroceria e interior originais.
Não é permitida qualquer alteração no interior da carroceria.
Para a corrida é permitido retirar aerofólio, retrovisores e antenas
Artigo 17º - O habitáculo é considerado parte integrante da carroceria, devendo manter-se como foi originalmente fornecido .
Artigo 18º - Deve ser mantida a figura tridimensional do piloto original do modelo .

SEÇÃO IV - EIXO, RODAS, PNEUS E OUTROS COMPONENTES

Artigo 18º Só serão permitidos o uso de pneus originais da marca SCX, incluindo a borracha do Domme Judd. Será permitido o uso de rodas de alumínio, dentro da bitola do carro. O associado convidado (piloto) que for pego em qualquer tentativa de burlar o regulamento, estará automaticamente excluído da prova e receberá uma prova de suspensão.
Artigo 19º - A bitola será de 64mm para os modelos (Ferrari 360/430/550/575)(Aston Martin DBR9)(Corvette C6R/Z6R) e 61mm para (Porsche 997) ,Morgan (Aero) e 66mm para o Seat Cupra GT, em casos de lançamentos o mesmo será apreciado pela comissão técnica .
  Artigo 20º - Demais componentes devem atender às seguintes normas:
•  O eixo pode ser substituído por outro semelhante de livre fabricação e procedência, não sendo permitido o uso de eixos vazados. Os eixos utilizados serão os de bitola 3/32'; Não poderá haver alterações no mesmo as rodas terão que rodar livremente.
  b) A guia permitida é a de fabricação SCX do modelo;
•  As buchas podem ser coladas nos seus respectivos suportes ou serem substituídas por buchas de latão tipo carretel;
•  Os fios para conexão no motor não poderão ser do tipo rígido.
  Artigo 21º Todos os carros deverão ter o peso mínimo igual ao original da réplica (observar tabela em anexo no final deste regulamento).

CAPITULO III - PROCEDIMENTOS DE CLASSIFICAÇÃO E CORRIDA

 SEÇÃO I VISTORIAS
Artigo 22º - A vistoria se iniciará no horário marcado. Todos os carros serão entregues mediante chamada para colocação do motor sorteado e somente então, inspecionados. A partir da vistoria, os carros ficarão sob a guarda da direção de prova até o início da corrida. A inspeção será feita por pessoas autorizadas pelo Diretor de Prova, conforme as especificações técnicas constantes no presente regulamento sendo composta de:  
•  Inspeção e lacre da carroceria com verificação de seu interior;
•  Inspeção da altura do chassi e ímãs com relação a pista;
•  Inspeção e lacre do chassi
•  Inspeção e lacre dos motores
•  Inspeção da bitola do carro.
•  Inspeção e lacre da fixação do motor no carro.
•  Inspeção de todos itens originais do carro.
•  Fechamento do carro e lacre.
  Artigo 23º - Os carros poderão ser vistoriados a qualquer momento durante a realização das baterias, pelo Diretor de Prova e, a não observação dos lacres de motor, chassi, carroceria ou componentes, implicará na desclassificação da prova, não importando o motivo alegado.
  Artigo 24º - Ao final da prova, os carros dos 3 (três) primeiros colocados poderão ser vistoriados.

SEÇÃO II ELIMINATÓRIA /CLASSIFICAÇÃO

Artigo 25º - A tomada de tempo será feita contra o relógio considerando-se a melhor volta obtida em 1 min.
§ 1º - O tempo será tomado na fenda laranja. Caso ocorra algum problema com esta fenda, o tempo será tomado em nova fenda a ser determinada pela Direção de prova
§ 2º - O critério de classificação será do menor para o maior tempo, cabendo, desta forma, a pole position ao tempo mais baixo.

SEÇÃO III - BATERIAS

Artigo 26º - Cada bateria é final e o piloto deve correr em todas as fendas da pista com rodízio seguindo o sistema americano.
§ 1º O número máximo de pilotos será de 24 por etapa. ( no Máximo 3 (três) baterias).
§ 2º - O tempo de corrida em cada fenda será de 5 minutos por 2 minuto de intervalo.
§ 3º - Nos casos de envolvimento de vários carros em batida ou de difícil acesso para recolocar o carro na fenda, a pista será desligada até a desobstrução da mesma, quando então o Diretor de Prova avisará e religará. No caso de algum carro sair da pista e cair no chão no lado interno da mesma, a pista também será desligada para que um recolocador possa retirá-lo e será religada tão logo o recolocador esteja no seu lugar e o carro recolocado na pista.
 Artigo 27º - Sendo verificada pelo Diretor de Prova a ocorrência de perda de algum item do carro, como rodas dianteiras ou de identificação de fenda, o piloto será comunicado e deverá repará-lo de imediato caso ponha em risco os demais competidores, ou para a próxima fenda da etapa que estiver participando.
Artigo 28º - Não será permitido retirar o carro da pista quando a corrida for interrompida por paradas ou problemas técnicos (interrupção para vistoria, punição, irregularidades, etc.).
  Artigo 29º - Na última fenda da prova os carros permanecerão na pista até serem liberados pelo Diretor de Prova.
  Artigo 30º - Como as pistas utilizam o sistema de tape interrompido, o carro que eventualmente estiver sobre esse trecho, quando houver uma paralisação por qualquer motivo, será arrastado imediatamente para o local determinado pelo Diretor de Prova.
  Artigo 31º O uso do jig para limpeza dos pneus será permitido nos intervalos e durante a corrida.

   SEÇÃO IV - RECOLOCAÇÃO DOS CARROS

Artigo 32º - Todos os pilotos que não estiverem participando da bateria corrente poderão ser convocados para a função de recolocadores pelo diretor da prova.
            § 1º - Os pilotos da última bateria serão convocados como recolocadores na primeira bateria. A partir daí serão recolocadores da segunda os que correram na primeira, e assim sucessivamente, até que os da última tenham como recolocadores os da penúltima bateria;
            § 2º -  O piloto que não exercer a função de recolocador na etapa terá descontado 10 pontos na sua pontuação total no campeonato referentes à etapa em que infringiu o regulamento;
            § 3º - Nenhum piloto exercendo a função de recolocador poderá ser substituído por outra pessoa, mesmo que esta esteja também inscrita no evento, salvo com aceitação do Diretor de Prova, após comprovação de impedimento ou força maior.
Artigo 33º - O recolocador é obrigado a permanecer em seu posto durante a corrida, recolocando o carro na fenda no lugar onde este saiu e de acordo com a cor do adesivo de identificação que estiver colado na sua parte dianteira.
  Artigo 34º - O recolocador não fará manutenção de espécie alguma nos carros, tais como arrumar os contatos, desamassar carroceria, apertar a coroa ou os pneus traseiros ou outro problema qualquer. Ocorrendo algum problema com o carro o recolocador o entregará imediatamente a um componente da equipe cujo carro apresentou problema ou a seu piloto.  

Observação: Lembramos a todos que os recolocadores estão ali para ajudarem, a obrigação de ficar na pista e não sair toda hora é dos pilotos.

 SEÇÃO V -PONTUAÇÃO DO CAMPEONATO

. Será dado um ponto extra ao pole position.

1º 12 pontos
2º 10 pontos
3º 8 pontos
4º 7 pontos
5º 6 pontos
6º 5 pontos
7º 4 pontos
8º 3 pontos
9º 2 pontos
10º em diante , 1 ponto.
Haverá descarte de um pior resultado. (Valendo o que você não tenha participado).

SEÇÃO VI HORÁRIOS e CALENDÁRIO DE CORRIDAS

Artigo 35º -Ver calendário em anexo.
Artigo 36º - Os horários nos dias de corridas serão:

a) Treino Livre::

de 12:30 h às 14:00 h

b) Inscrições (pagto adiantado) e Sorteio dos motores

De 14:00 h às 14:30 h (Com a presença de todos ou não)

c) Entrega carros p/ inspeção e instalação do motor sorteado

14:31 h as 14:50 h

d) Classificação

15h

e) Início:

Logo após o termino da classificatória

   Artigo 37º - No início da prova a pista será ligada pelo tempo de 3 (três) minutos para treino de aquecimento e acertos finais dos carros, findo os quais a prova se iniciará imediatamente, com qualquer número de carros no grid de largada.

CAPITULO IV - PENALIDADES E RECURSOS

Artigo 38º - Serão consideradas faltas passíveis de punição infrações a qualquer item deste regulamento, atitudes anti-desportivas, uso de palavras de baixo calão ou em alto tom.
  Artigo 39º - Caberá ao Diretor de Prova, aplicar as penalidades abaixo descritas aos pilotos e recolocadores, inscritos na etapa:
•  Advertência verbal;
•  Perda de 5 voltas na fenda;
•  Perda de 10 voltas na fenda
•  Perda de 20 voltas na fenda
•  Desclassificação da fenda
•  Desclassificação da prova.
  Artigo 40º - Em se tratando de reclamações sobre componentes dos carros, o piloto reclamante deverá depositar junto ao Diretor de Prova, o valor correspondente a 2 vezes o valor médio de mercado, para cada item reclamado. E sendo no caso pessoal a quantia igual a de uma inscrição. Obs: Só assim a direção de prova acatará para analise á reclamação.  
Artigo 41º - Se constatadas irregularidades nos componentes do carro reclamado, o reclamante receberá de volta o valor depositado junto ao Diretor de Prova e este aplicará ao piloto reclamado a sanção prevista no artigo 39º - item e do presente regulamento. Igualmente no pessoal.
  Artigo 42º - Caso não seja constatada nenhuma irregularidade nos componentes do carro reclamado, o valor depositado pelo reclamante junto ao Diretor de Prova, será repassado ao piloto reclamado. Igualmente no pessoal.  

CAPITULO VI - DISPOSIÇÕES FINAIS

Artigo 43º Será acrescido ao peso mínimo do carro do vencedor de uma etapa, o peso de:
1 (uma) grama a cada vitória, chegando ao Máximo de 5 gramas.
Artigo 44º   -  Casos omissos no presente regulamento serão analisados e julgados pelo Diretor de Prova, cuja decisão será soberana, não cabendo recurso sobre a mesma.

Artigo 45º - Tudo o que não estiver acima permitido, é proibido.

Pesos Mínimos dos modelos :

Aston Martim DFR9

89,6 gramas

Corvette C 6 R

90,1 gramas

Morgan Aero GT1

 

Ferrari 360 Modena

93,3 gramas

Ferrari 550 Maranello

90,1 gramas

Ferrari 430 GT3

93,3 gramas

Porsche 997 GT3 c/ eixo dianteiro
Sem o eixo dianteiro

91,6 gramas

85,3 gramas

Seat Cupra GT

93,0 gramas

 

 

 


Calendário das provas
Inicio do campeonato 18 de julho
2ª etapa 22 de Agosto
3ª etapa 19 de Setembro
4ª etapa 24 de Outubro
5ª etapa - 28 de Novembro
6ª etapa 12 de Dezembro


Campeonato da CAR para GT 2009

aa

CAPITULO I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

 Artigo 1º - Este Regulamento aplica-se ao Campeonato de 2009 de réplicas na categoria GT, denominado por este clube de GTR ( Gran Touring Racing), organizado pelo Clube dos Amigos de Réplicas - CAR. Serão admitidos, na categoria, réplicas de carros reais homologados para participação em campeonatos da FIA,  GTS (GT1), (GT2) e (GT3), JCS, comercializadas pelo fabricante SCX ou similar dentro da expecificações. Proibidos os modelos PRO da SCX.
 
Artigo 2º - Em cada prova correrão os carros da categoria GTR que terá a duração de 24 minutos sendo 3 minutos para cada fenda e 2 minutos de intervalo entre elas.  

 Artigo 3º - O CAR fornecerá troféus aos três (3) primeiros colocados em cada prova e ao final do campeonato aos cinco (5) primeiros colocados, além de medalhas à equipe campeã do Torneio.

 Artigo 4º - O CAR é o responsável pela coordenação da prova, cabendo a ele a indicação do Diretor da Prova, que será a autoridade competente para o fiel cumprimento dos horários estabelecidos e dos itens do presente regulamento.                 
               § 1º Fica  á critério do CAR, o cancelamento da credencial de piloto convidado, sempre que o mesmo infringir qualquer artigo deste regulamento ou mesmo as normas de conduta do clube.
A credencial deste ano deverá que ser entregue no ato da inscrição, sem o que não será aceita a mesma.

Artigo 5º - Os pilotos são os únicos responsáveis pelos seus atos durante o evento, incidindo sobre os mesmos as punições que vierem a sofrer por infração do presente regulamento.

 Artigo 6º - Inscrições
            § 1º - As equipes, caso existam, deverão ser determinadas pelos pilotos no início de suas participações com somente dois pilotos por equipes.
                  - Só serão aceitas inscrições dos associados convidados que estiverem de posse de suas credenciais permanentes do ano de 2009. A carteirinha de associado do ano passado perdeu sua validade no dia 31 de dezembro de 2008. Estas credenciais são grátis.
§ 2º - O valor da inscrição será de R$ 25,00 (vinte e cinco reais), para cada etapa, com o pagamento sendo feito na hora do sorteio dos motores. (a pista é alugada e o proprietário recebe antes da corrida se iniciar).

CAPITULO II - PARTE TÉCNICA

SEÇÃO I - MOTORES E TRANSMISSÃO

Artigo 7º - Os motores homologados são exclusivamente os RX 42 B da SCX de 19.000 RPM.
 Cada piloto comprará um motor e o mesmo ficará sob guarda do Clube que, antes de cada etapa, sorteará um motor para cada piloto inscrito, pouco antes da tomada de tempo. Ao final do campeonato o piloto receberá seu motor de volta. 

Os motores serão fixados (soldados) aos carros pelos comissários de prova autorizados pelo CAR.

Não é permitido que os pilotos treinem com os motores antes da corrida.
Não é permitido o uso de aditivos nos motores, pena de desclassificação da prova.
Não é permitido lubrificar os motores; os mesmos já virão lubrificados a cada etapa.
A manutenção dos motores será feita exclusivamente pelo CAR, por isso, fica proibido, a qualquer pretexto a lavagem dos motores por terceiros não autorizados.
No caso de queima ou quebra que prejudique o rendimento de um motor, o CAR substituirá o motor por outro de mesma marca e tipo.
No caso de um motor cair de rendimento, o piloto deverá parar imediatamente sob pena de, caso o mesmo se queime ou seja causador de  algum dano, pagar por um novo motor.        
                                             

                                                      SEÇÃO II – TRANSMISSÃO

Artigo 8º: É permitido o uso apenas de pitch 48, original de fabricação SCX, sendo permitido o uso de coroas SCX Pro (conforme Foto).
A relação terá de ser 27 X 9, razão 3.000.



   SEÇÃO II - CHASSI

 Artigo 9º - É permitido apenas a utilização do chassi original do modelo, sem qualquer modificação.
                § 1º - Não é permitido o uso de rolamento.

 Artigo 10º - Durante a prova o piloto deverá ter atenção especial à altura do carro para que não arraste o chassi na pista, sob pena de punição.

 Artigo 11º - Não é permitida a troca de chassi nem de carroceria durante a prova.

SEÇÃO II – ÍMÃ

Artigo 12º - Será permitido o uso de um ímã na frente do carro, colado no chassi, e na traseira, na posição original do ímã, 2 ímãs de 12 x 6 x 3 mm ou apenas 1 ímã de 25 x 6 x 3 mm.

SEÇÃO III - CARROCERIA

Artigo 14º - O modelo do carro é GT, desde que seja da marca SCX, Scalextric ou outro que venha a ter a configuração e características iguais ou semelhantes aos SCX.
            § Único - Não será permitido corte em qualquer local da carroceria, seja ele por qualquer razão. Nos chassis que por ventura tenham sido utilizados no ano de 2008, os mesmo poderão ser remendados no local onde era permitido abrir o buraco do 2º imã, mantido o peso original do carro.

 Artigo 15º - Não será permitida a troca de carroceria durante a prova.

Artigo 16º - É obrigatório manter todos os componentes da carroceria e interior originais.
             Não é permitida qualquer alteração no interior da carroceria.
Para a corrida é permitido retirar aerofólio, retrovisores e antenas.

Artigo 17º - O habitáculo é considerado parte integrante da carroceria, devendo manter-se como foi originalmente fornecido.

Artigo 18º - Deve ser mantida a figura tridimensional do piloto original do modelo.

SEÇÃO IV - EIXO, RODAS,  PNEUS  E OUTROS COMPONENTES

 Artigo 18º – Só serão permitidos o uso de pneus originais da marca SCX, incluindo a borracha do Domme Judd. É proibida a utilização de produtos ou processos para amolecimento da borracha dos pneus (ponto passivo de impedimento de participação na prova).
Será permitido o uso de rodas de alumínio, dentro da bitola do carro.
O associado convidado (piloto) que for pegado em qualquer tentativa de burlar o regulamento, estará automaticamente excluído da prova e receberá uma prova de suspensão.

 Artigo 19º - A bitola será de 64mm para os modelos (Ferrari 360/430/550/575)(Aston Martin DBR9)(Corvette C6R/Z6R) e 61mm para (Porsche 997),Morgan (Aero) e 66mm para o Seat Cupra GT; em casos de novos lançamentos da fábrica, o mesmo será apreciado pela comissão técnica e determinada a bitola.

 Artigo 20º - Demais componentes devem atender às seguintes normas:

a - O eixo pode ser substituído por outro semelhante de livre fabricação e procedência, não sendo permitido o uso de eixos vazados. Os eixos utilizados serão os de bitola 3/32’;
b) Não poderá haver alterações nos eixos e as rodas terão que rodar livremente;
c) A guia permitida é a de fabricação SCX do modelo;
d) As buchas podem ser coladas nos seus respectivos suportes ou serem substituídas por buchas de latão tipo carretel;
e) Os fios para conexão no motor não poderão ser do tipo rígido.

 Artigo 21º – Todos os carros deverão ter o peso mínimo igual ao original da réplica (observar tabela em anexo no final deste regulamento).

CAPITULO III - PROCEDIMENTOS DE CLASSIFICAÇÃO E CORRIDA

 SEÇÃO I – VISTORIAS

   Artigo 22º - A vistoria se iniciará no horário marcado; todos os carros serão entregues mediante chamada para colocação do motor sorteado e somente então, inspecionados. A partir da vistoria, os carros ficarão sob a guarda do CAR até o início da corrida.  A inspeção será feita por pessoas autorizadas pelo Diretor de Prova, conforme as especificações técnicas constantes no presente regulamento sendo composta de:  
a- Inspeção e lacre da carroceria com verificação de seu interior;
b- Inspeção da altura do chassi e ímãs com relação a pista;
c- Inspeção e lacre do chassi
d- Inspeção e lacre dos motores
e-  Inspeção da bitola do carro.        
f- Inspeção e lacre da fixação do motor no carro.
g- Inspeção de todos itens originais do carro.
h- Fechamento do carro e lacre.

 Artigo 23º - Os carros poderão ser vistoriados a qualquer momento durante a realização das baterias pelo Diretor de Prova e a não observação dos lacres de motor, chassi, carroceria ou componentes, implicará na desclassificação da prova, não importando o motivo alegado.

 Artigo 24º - Ao final da prova, os carros dos 3 (três) primeiros colocados poderão ser vistoriados.

SEÇÃO II – ELIMINATÓRIA /CLASSIFICAÇÃO

Artigo 25º -  A tomada de tempo será feita contra o relógio considerando-se a melhor volta obtida em 1 min.

§ 1º -   O tempo será tomado na fenda a ser informada pelo CAR no momento do sorteio dos motores. Caso ocorra algum problema com esta fenda, o tempo será tomado em nova fenda a ser determinada pelo CAR

§ 2º -  O critério de classificação será do menor para o maior tempo, cabendo, desta forma, a pole position ao tempo mais baixo.

SEÇÃO III - BATERIAS

Artigo 26º - Cada bateria é final e o piloto deve correr em todas as fendas da pista com rodízio seguindo o sistema americano.

  § 1º –  O número máximo de pilotos será de 24 por etapa (no máximo 3 (três) baterias).
 
§ 2º - O tempo de corrida em cada fenda será de 3 minutos por 2 minuto de intervalo.

§ 3º - Nos casos de envolvimento de vários carros em batida ou de difícil acesso para recolocar o carro na fenda, a pista será desligada até a desobstrução da mesma, quando então o Diretor de Prova avisará e religará. No caso de algum carro sair da pista e cair no chão no lado interno da mesma, a pista também será desligada para que um recolocador possa retirá-lo e será religada tão logo o recolocador esteja no seu lugar e o carro recolocado na pista.

 Artigo 27º - Sendo verificada pelo Diretor de Prova a ocorrência de perda de algum item do carro, como rodas dianteiras ou de identificação de fenda, o piloto será comunicado e deverá repará-lo de imediato caso ponha em risco os demais competidores, ou para a próxima fenda da etapa que estiver participando.

Artigo 28º - Não será permitido retirar o carro da pista quando a corrida for interrompida por paradas ou problemas técnicos (interrupção para vistoria, punição, irregularidades, etc.).

 Artigo 29º - Ao término de cada fenda, será proibido, sob qualquer pretexto, retirar os carros da pista para manutenção. Os carros deverão ser posicionados na próxima fenda a ser corrida, imediatamente após a liberação do Diretor de Prova (a partir deste ano o próprio concorrente fará a troca de sua fita de fenda). Fica proibido aos recolocadores fazerem tal função, já que passam a serem fiscais para examinarem se foi feito alguma manutenção durante a troca de pista,  (caso algum recolocador veja alguma irregularidade deverá imediatamente transmiti-la ao diretor de prova para as devidas providências, que irão de perda de voltas até desclassificação da prova pelo concorrente infrator); caso algum recolocador seja pegado vendo uma irregularidade e não a comunicando ao Diretor de Prova, este também será punido.

 Na última fenda da prova os carros permanecerão na pista até serem liberados pelo Diretor de Prova. Toda manutenção terá que ser feita durante a prova. Ao terminar uma fenda, o carro que estiver em manutenção, terá que  suspendê-la até o reinício da corrida, salvo autorização do Diretor de Prova.
 
 Artigo 30º - Como as pistas utilizam o sistema de tape interrompido, o carro que eventualmente estiver sobre esse trecho, quando houver uma paralisação por qualquer motivo, será arrastado imediatamente para o local determinado pelo Diretor de Prova.

 Artigo 31º – O uso do jig para limpeza dos pneus será cedido pelo CAR e somente este poderá ser utilizado durante a corrida.

SEÇÃO IV - RECOLOCAÇÃO DOS CARROS

Artigo 32º - Todos os pilotos que não estiverem participando da bateria corrente poderão ser convocados para a função de recolocadores pelo diretor da prova.

            § 1º - Os pilotos da última bateria serão convocados como recolocadores na primeira bateria. A partir daí serão recolocadores da segunda os que correram na primeira, e assim sucessivamente, até que os da última tenham como recolocadores os da penúltima bateria;

            § 2º -  O piloto que não exercer a função de recolocador na etapa terá descontado 10 pontos na sua pontuação total no campeonato referentes à etapa em que infringiu o regulamento;

            § 3º - Nenhum piloto exercendo a função de recolocador poderá ser substituído por outra pessoa, mesmo que esta esteja também inscrito no evento, salvo com aceitação do Diretor de Prova, após comprovação de impedimento ou força maior.

Artigo 33º - O recolocador é obrigado a permanecer em seu posto durante a corrida, recolocando o carro na fenda no lugar onde este saiu e de acordo com a cor do adesivo de identificação que estiver colado na sua parte dianteira.
 
 Artigo 34º - O recolocador não fará manutenção de espécie alguma nos carros, tais como arrumar os contatos, desamassar carroceria, apertar a coroa ou os pneus traseiros ou outro problema qualquer. Ocorrendo algum problema com o carro o recolocador o entregará imediatamente a um componente da equipe cujo carro apresentou problema ou a seu piloto.  
Observação: Lembramos a todos que os recolocadores estão ali para ajudarem, a obrigação de ficar na pista e não sair da fenda é dos pilotos.

                                          SEÇÃO V -PONTUAÇÃO DO CAMPEONATO

 A pontuação continua como no ano passado, com os pontos sendo dados somente aos 10 primeiros colocados.
Será dado um ponto extra ao pole position.
1º 12 pontos
2º 10 pontos
3º 8 pontos
4º 7 pontos
5º 6 pontos
6º 5 pontos
7º 4 pontos
8º 3 pontos
9º 2 pontos  
10º 1 ponto.
O piloto que não completar 50% das voltas do vencedor não pontuará na etapa.
 Haverá descarte de dois piores resultados. (Valendo o que você não tenha participado).         

SEÇÃO VI – HORÁRIOS e CALENDÁRIO DE CORRIDAS

Artigo 35º -Ver calendário em anexo.

Artigo 36º - Os horários nos dias de corridas serão:

a) Treino Livre::

de 11:30 h às 13:00 h

b) Inscrições (pagto adiantado) e  Sorteio dos motores RX 42 B

De 13:00 h às 13:30 h (com a presença de todos ou não)

c) Entrega carros p/ inspeção e instalação do motor sorteado

13:31 h as 13:50 h

d) Classificação

14h

e) Início:

 Logo após o termino da classificatória

Artigo 37º - No início da prova a pista será ligada pelo tempo de 3 (três) minutos para treino de aquecimento e acertos finais dos carros, findo os quais a prova se iniciará imediatamente, com qualquer número de carros no grid de largada.

CAPITULO IV - PENALIDADES E RECURSOS

Artigo 38º - Serão consideradas faltas passíveis de punição infrações a qualquer item deste regulamento, atitudes anti-desportivas, uso de palavras de baixo calão ou em alto tom.

 Artigo 39º - Caberá ao Diretor de Prova, aplicar as penalidades abaixo descritas aos pilotos e recolocadores, inscritos na etapa:

  1. Advertência verbal;
  2. Perda de 1 volta na fenda;
  3. Perda de 5 voltas na fenda
  4. Desclassificação da fenda
  5. Desclassificação da prova.

 Artigo 40º - Em se tratando de reclamações sobre componentes dos carros, o piloto reclamante deverá depositar junto ao Diretor de Prova, o valor correspondente a 2 vezes o valor médio de mercado, para cada item reclamado. E sendo no caso pessoal a quantia igual a de uma inscrição.
Obs: Só assim a direção de prova acatará a reclamação para análise. 

Artigo 41º - Se constatadas irregularidades nos componentes do carro reclamado, o reclamante receberá de volta o valor depositado junto ao Diretor de Prova e este aplicará ao piloto reclamado a sanção prevista no artigo 39º - item “d” do presente regulamento.

 Artigo 42º - Caso não seja constatada nenhuma irregularidade nos componentes do carro reclamado, o valor depositado pelo reclamante junto ao Diretor de Prova, será repassado ao piloto reclamado.

CAPITULO VI - DISPOSIÇÕES FINAIS

Artigo 43º – Será acrescido ao peso mínimo do carro do vencedor de uma etapa, o peso de 1 (uma) grama a cada vitória, chegando ao máximo de 5 gramas.

Artigo 44º  -  Casos omissos no presente regulamento serão analisados e julgados pelo Diretor de Prova, cuja decisão será soberana, não cabendo recurso sobre a mesma.

Artigo 45º   -  Tudo o que não estiver acima permitido, é proibido.

 - O regulamento foi feito para ser respeitado e não burlado. Leia o que nele esta escrito, não tente interpreta-lo ao seu modo.

Pesos Mínimos  dos modelos:

Aston Martim DFR9

89,6 grams

Corvette C 6 R

90,1 grams

Morgan Aero GT1

 

Ferrari 360 Modena

93,3 grams

Ferrari 550 Maranello

90,1 grams

Ferrari 430 GT3

93,3 grams

Porsche 997 GT3 c/ eixo dianteiro
Sem o eixo dianteiro

91,6 grams

85,3 grams

Seat Cupra GT

93,0 Grams

Calendário das provas
1ª etapa – 07 de fevereiro
 2ª etapa – 14 de Março
 3ª etapa – 18 de  Abril
 4ª etapa – 9 de Maio
 5ª etapa -  13 de junho – GP CAR (Haverá uma premiação diferente das demais)
 6ª etapa – 11 de julho
 7ª etapa – 15 de agosto
 8ª etapa -  12 de setembro IV GP Rodrigo Machado Otoline
 9ª etapa – 17 de outubro
10ª etapa – 14 de novembro
Estas datas estarão sujeitas a remanejamentos, sempre que o CAR o necessitar por ordem logística ou pessoal,


CAMPEONATO DE TURISMO

d

CAPITULO I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

 Artigo 1º - Este Regulamento aplica-se ao Campeonato  2009 de réplicas na categoria TOP RACE SCX (Turismo) , organizado pelo Clube de Amigos de Réplicas - CAR. Serão admitidos, na categoria, réplicas de carros reais homologados para participação em campeonatos da FIA:  DTM, WTCC, WCR, BTCC e outros que se enquadrem neste artigo,   comercializadas pelo fabricante SCX , Scalectrix ou fabricantes cujo os modelos sejam semelhantes ao SCX. Proibido o modelo PRO da SCX.
 
Artigo 2º - Em cada prova correrão os carros da categoria Turismo que terá a duração de 24 minutos sendo 3 minutos para cada fenda e 2 minuto de intervalo entre elas.
 
 Artigo 3º - O CAR fornecerá troféus aos três (3) primeiros colocados em cada prova e ao final do campeonato aos cinco (5) primeiros colocados.
Além de medalhas á equipe campeã do Torneio, caso o tenha.

 Artigo 4º - O CAR é o responsável pela coordenação da prova, cabendo a ele a indicação do Diretor da Prova, que será a autoridade competente para o fiel cumprimento dos horários estabelecidos e dos itens do presente regulamento.

 § 1º Fica  á critério do CAR, o cancelamento da credencial de piloto convidado, sempre que o mesmo infringir qualquer artigo deste regulamento ou mesmo as normas de conduta do clube.
Esta credencial neste ano derá que ser entregue no ato de sua inscrição, sem isto não será aceita a mesma.
Artigo 5º - Os pilotos são os únicos responsáveis pelos seus atos durante o evento, incidindo sobre os mesmos as punições que vierem a sofrer por infração do presente regulamento.

 Artigo 6º - Inscrições

            § 1º - As equipes, caso existam, deverão ser determinadas pelos pilotos no início de suas participações. E somente dois por equipes.
                      Só serão aceitas inscrições dos associados convidados que estiverem de posse de suas credenciais permanentes do ano de 2009. A carteirinha de associado do ano passado perdeu sua validade no dia 31 de dezembro de 2008. Estas credenciais são grátis.

§ 2º - O valor da inscrição será de R$ 25,00 (vinte e cinco reais), para cada etapa, com o pagamento sendo feito na hora do sorteio dos motores. (a pista é alugada e o proprietário recebe antes da corrida se iniciar).

CAPITULO II - PARTE TÉCNICA

SEÇÃO I - MOTORES E TRANSMISSÃO

 Artigo 7º -  Os motores homologados são exclusivamente os RX 42 B da SCX de 19.000 RPM.
Serão  utilizados os mesmos motores já adquiridos para a categoria GTR, salvo aqueles associados que por ventura se inscreveram somente nesta.G

  Serão fixados (Soldados) aos carros pelos comissários de prova. 

  1. Não é permitido que os pilotos que treinem com os motores da corrida.
  1. Não é permitido o uso de aditivos nos motores, pena de desclassificação da prova.
  1. Não é permitido lubrificar os motores. Os mesmos já virão lubrificados a cada etapa.
  1. A manutenção dos motores será feita exclusivamente pelo CAR. Por isso, fica proibido, a qualquer pretexto a lavagem dos motores por terceiros não autorizados.
  1. No caso de queima ou quebra que prejudique o rendimento de um motor, o CAR substituirá o motor por outro de mesma marca e tipo e o valor do mesmo será rateado entre os associados.

    No caso de um motor cair de rendimento, o piloto deverá parar imediatamente sob pena de, caso o mesmo se queime ou seja causador de  algum dano, pagar por um novo motor.

                                                       SEÇÃO II – TRANSMISSÃO


D
Artigo 8º:
É permitido o uso apenas de pitch 48, original do modelo SCX.  será permitido o uso de coroas SCX Pro. A relação terá de ser 27
X 9. Razão 3.000

SEÇÃO II - CHASSI

 Artigo 9º - É permitido apenas a utilização do chassi original do modelo, sem qualquer modificação.

                § 1º - Não é permitido o uso de rolamento.

 Artigo 10º - Durante a prova o piloto deverá ter atenção especial à altura do carro para que não arraste o chassi na pista, sob pena de punição.

 Artigo 11º - Não é permitida a troca de chassi nem de carroceria durante a prova.

SEÇÃO II – ÍMÃ

Artigo 12º - Será permitido o uso de um ímã na frente do carro, colado no chassi, e na traseira, na posição original do ímã, 2 ímãs de 12 x 6 x 3 mm ou apenas 1 ímã de 25 x 6 x 3 mm (vendidos na loja Of. do Autorama).

SEÇÃO III - CARROCERIA

Artigo 14º - O modelo do carro é TURISMO, desde que seja da marca SCX, Scalextric ou outro que venha a ter a configurações características iguais ou semelhantes aos SCX.

            § Único - Não será permitido corte em qualquer local da carroceria, seja ele por qualquer razão. Nos chassis que por ventura tenham sido utilizados no ano de 2007, os mesmo poderão ser remendados no local onde era permitido abrir o buraco do 2º imã, mantido o peso original do carro.

 Artigo 15º - Não será permitida a troca de carroceria durante a prova.

Artigo 16º - É obrigatório manter todos os componentes da carroceria e interior originais
             Não é permitida qualquer alteração no interior da carroceria.
Para a corrida é permitido retirar aerofólio, retrovisores e antenas
           
Artigo 17º - O habitáculo é considerado parte integrante da carroceria, devendo manter-se como foi originalmente fornecido.
Artigo 18º - Deve ser mantida a figura tridimensional do piloto original do modelo. Podendo a critério do associado a retirada ou não do 2º piloto no caso do carro pertencer a classe WCR(World Championship Rally).

SEÇÃO IV - EIXO, RODAS,  PNEUS  E OUTROS COMPONENTES

 Artigo 18º – Só serão permitidos o uso de pneus originais da marca SCX, incluindo a borracha do Domme Judd. É proibida a utilização de produtos ou processos para amolecimento da borracha dos pneus (ponto passivo de impedimento de participação na prova). Será permitido o uso de rodas de alumínio, dentro da bitola do carro. O associado convidado (piloto) que for pego em qualquer tentativa de burlar o regulamento, estará automaticamente excluído da prova e receberá uma prova de suspensão.

 Artigo 19º - A bitola deve ser de 61mm, para todos  os modelos, mesmo que venha a utilizar rodas de alumínio ou os pneus Domme Judd ou pro. Somente o Honda Accord fica com 63,5mm como vem de fabrica.

 Artigo 20º - Demais componentes devem atender às seguintes normas:

  1. O eixo pode ser substituído por outro semelhante de livre fabricação e procedência, não sendo permitido o uso de eixos vazados, as rodas terão     que girar livremente. Os eixos utilizados serão os de bitola 3/32’;

            b)   A guia permitida é a original SCX do modelo;

  1. As buchas podem ser coladas nos seus respectivos suportes ou serem substituídas por buchas de latão tipo carretel;
  1. Os fios para conexão no motor não poderão ser do tipo rígido.

 Artigo 21º – Todos os carros deverão ter o peso mínimo igual ao original da réplica (observar tabela em anexo).

CAPITULO III - PROCEDIMENTOS DE CLASSIFICAÇÃO E CORRIDA

 SEÇÃO I – VISTORIAS

   Artigo 22º - A vistoria se iniciará no horário marcado. Todos os carros serão entregues mediante chamada para colocação do motor sorteado e somente então, inspecionados. A partir da vistoria, os carros ficarão sob a guarda do CAR até o início da corrida.  A inspeção será feita por pessoas autorizadas pelo Diretor de Prova, conforme as especificações técnicas constantes no presente regulamento sendo composta de:    

  1. Inspeção e lacre da carroceria com verificação de seu interior;
  1. Inspeção da altura do chassi e ímãs com relação a pista;
  1. Inspeção e lacre do chassi
  1. Inspeção e lacre dos motores
  2.  Inspeção da bitola do carro.        
  3. Inspeção e lacre da fixação do motor no carro.
  4. Inspeção de todos itens originais do carro.
  5. Fechamento do carro e lacre.

 Artigo 23º - Os carros poderão ser vistoriados a qualquer momento durante a realização das baterias, pelo Diretor de Prova e, a não observação dos lacres de motor, chassi, carroceria ou componentes, implicará na desclassificação da prova, não importando o motivo alegado.

 Artigo 24º - Ao final da prova, os carros dos 3 (três) primeiros colocados poderão ser vistoriados.

SEÇÃO II – ELIMINATÓRIA /CLASSIFICAÇÃO

Artigo 25º -  A tomada de tempo será feita contra o relógio considerando-se a melhor volta obtida em 1 min.

§ 1º -   O tempo será tomado na fenda a ser informada pelo CAR no momento do sorteio dos motores. Caso ocorra algum problema com esta fenda, o tempo será tomado em nova fenda a ser determinada pelo CAR

§ 2º -  O critério de classificação será do menor para o maior tempo, cabendo, desta forma, a pole position ao tempo mais baixo.

SEÇÃO III - BATERIAS

Artigo 26º - Cada bateria é final e o piloto deve correr em todas as fendas da pista com rodízio seguindo o sistema americano.
§ 1º –  O número máximo de pilotos será de 24 por etapa. ( no Máximo 3 (três) baterias).
 
§ 2º - O tempo de corrida em cada fenda será de 3 minutos por 2 minuto de intervalo.

             § 3º - Nos casos de envolvimento de vários carros em batida ou de difícil acesso para recolocar o carro na fenda, a pista será desligada até a desobstrução da mesma, quando então o Diretor de Prova avisará e religará. No caso de algum carro sair da pista e cair no chão no lado interno da mesma, a pista também será desligada para que um recolocador possa retirá-lo e será religada tão logo o recolocador esteja no seu lugar e o carro recolocado na pista.

 Artigo 27º - Sendo verificada pelo Diretor de Prova a ocorrência de perda de algum item do carro, como rodas dianteiras ou de identificação de fenda, o piloto será comunicado e deverá repará-lo de imediato caso ponha em risco os demais competidores, ou para a próxima fenda da etapa que estiver participando.

Artigo 28º - Não será permitido retirar o carro da pista quando a corrida for interrompida por paradas ou problemas técnicos (interrupção para vistoria, punição, irregularidades, etc.).

 Artigo 29ºAo término de cada fenda, será proibido, sob qualquer pretexto, retirar os carros da pista para manutenção. Os carros deverão ser posicionados na próxima fenda a ser corrida, imediatamente após a liberação do Diretor de Prova. ( a partir deste ano o próprio concorrente fará a troca de sua fita de fenda), ficando proibido aos recolocadores fazerem tal função, já que passam a serem fiscais para examinarem se foi feito manutenção durante a troca de pista. ( Caso algum recolocador veja alguma irregularidade deverá imediatamente transmiti-la ao diretor de prova para as devidas providencias, que irão de perca de voltas até desclassificação da prova, pelo concorrente infrator) caso algum recolocador seja pego vendo uma irregularidade e não comunicado ao diretor de pista, este também será punido. Na última fenda da prova os carros permanecerão na pista até serem liberados pelo Diretor de Prova. Toda manutenção terá que ser feita durante a prova. Ao terminar uma fenda, o carro que estiver em manutenção, terá que  suspende-la até o reinício da corrida, salvo autorização do diretor de prova.

 Artigo 30º - Como as pistas utilizam o sistema de tape interrompido, o carro que eventualmente estiver sobre esse trecho, quando houver uma paralisação por qualquer motivo, será arrastado imediatamente para o local determinado pelo Diretor de Prova.

 Artigo 31º – Só será permitido o uso do jig de  limpeza de pneus, cedido pelo CAR e colocado na fenda.

SEÇÃO IV - RECOLOCAÇÃO DOS CARROS

Artigo 32º - Todos os pilotos que não estiverem participando da bateria corrente poderão ser convocados para a função de recolocadores pelo diretor da prova.

            § 1º - Os pilotos da última bateria serão convocados como recolocadores na primeira bateria. A partir daí serão recolocadores da segunda os que correram na primeira, e assim sucessivamente, até que os da última tenham como recolocadores os da penúltima bateria;

            § 2º -  O piloto que não exercer a função de recolocador quando solicitado na etapa, terá descontado 20 voltas no seu nº de voltas finais.

            § 3º - Nenhum piloto exercendo a função de recolocador poderá ser substituído por outra pessoa, mesmo que esta esteja também inscrita no evento, salvo com aceitação do Diretor de Prova, após comprovação de impedimento ou força maior.

Artigo 33º - O recolocador é obrigado a permanecer em seu posto durante a corrida, recolocando o carro na fenda no lugar onde este saiu e de acordo com a cor do adesivo de identificação que estiver colado na sua parte dianteira.
 
 Artigo 34º - O recolocador não fará manutenção de espécie alguma nos carros, tais como arrumar os contatos, desamassar carroceria, apertar a coroa ou os pneus traseiros ou outro problema qualquer. Ocorrendo algum problema com o carro o recolocador o entregará imediatamente a um componente da equipe cujo carro apresentou problema ou a seu piloto.  

                                          SEÇÃO V -PONTUAÇÃO DO CAMPEONATO
 A pontuação será com os pontos sendo dados somente aos 15 primeiros colocados.
Será dado um ponto extra ao pole position.

1º 15 pontos                     11ª  5 pontos
2º 14 pontos                     12ª  4  pontos
3º 13 pontos                     13ª  3  pontos
4º 12 pontos                     14ª  2 pontos
5º 11 pontos                     15ª  1 ponto
6º 10 pontos
7º   9 pontos
8º   8  pontos
9º   7 pontos
10º  6  pontos

O piloto que não completar 50% das voltas do vencedor não pontuará na etapa.
 Haverá descarte de dois piores resultados. (Valendo o que você não tenha participado).

         SEÇÃO VI – HORÁRIOS e CALENDÁRIO DE CORRIDA

Artigo 35º -Ver calendário em anexo.

Artigo 36º - Os horários nos dias de corridas serão:

a) Treino Livre::

de 11:30 h às 13:00 h

b) Inscrições (pagto adiantado) e  Sorteio dos motores RX 42 B

De 13:00 h às 13:30 h (Com a presença de todos ou não)

c) Entrega carros p/ inspeção e instalação do motor sorteado

13:31 h as 13:50 h

d) Classificação

14h

e) Início:

Imediatamente após a tomada de tempo.

Artigo 37º - No início da prova a pista será ligada pelo tempo de 3 (três) minutos para treino de aquecimento e acertos finais dos carros, findo os quais a prova se iniciará imediatamente, com qualquer número de carros no grid de largada.

CAPITULO IV - PENALIDADES E RECURSOS

Artigo 38º - Serão consideradas faltas passíveis de punição infrações a qualquer item deste regulamento, atitudes anti-desportivas, uso de palavras de baixo calão ou em alto tom.

 Artigo 39º - Caberá ao Diretor de Prova, aplicar as penalidades abaixo descritas aos pilotos e recolocadores, inscritos na etapa:

a)Advertência verbal;

  1. Perda de 1 volta na fenda;
  2. Perda de 5 voltas na fenda
  3. Desclassificação da fenda
  4. Desclassificação da prova.

Artigo 40º - Em se tratando de reclamações sobre componentes dos carros, o piloto reclamante deverá depositar junto ao Diretor de Prova, o valor correspondente a 2 vezes o valor médio de mercado, para cada item reclamado. .E sendo no caso pessoal a quantia igual a de uma inscrição. Obs: Só assim a direção de prova acatará para analise á reclamação.  

Artigo 41º - Se constatadas irregularidades nos componentes do carro reclamado, o reclamante receberá de volta o valor depositado junto ao Diretor de Prova e este aplicará ao piloto reclamado a sanção prevista no artigo 39º - item “d” do presente regulamento. Igualmente no pessoal.  

 Artigo 42º - Caso não seja constatada nenhuma irregularidade nos componentes do carro reclamado, o valor depositado pelo reclamante junto ao Diretor de Prova, será repassado ao piloto reclamado. Igualmente no pessoal.     

CAPITULO VI - DISPOSIÇÕES FINAIS

Artigo 43º –  Será acrescido ao peso mínimo do carro do vencedor de uma etapa, o peso de:
 1 (uma) grama a cada vitória, chegando ao  Máximo de 5 gramas.

Artigo 44º  -  Casos omissos no presente regulamento serão analisados e julgados pelo Diretor de Prova, cuja decisão será soberana, não cabendo recurso sobre a mesma.

Artigo 45º   -TUDO O QUE NÃO ESTIVER ACIMA PERMITIDO, É PROIBIDO.

 - O regulamento foi feito para ser respeitado e não burlado. Leia o que nele esta escrito, não tente interpreta-lo ao seu modo.

Seat Leon (todos)

83,3 gramas

Honda Accord (todos)

86,7 gramas

Volvo S60R

86,5 gramas

Mercedes Benz Klass(Todas)

89,2 gramas

Opel Vectra GTS V8

89,2 gramas

Opel Astra GTS V8 (todos)

86,5 gramas

Subaru Impressa (V.Rossi)     

91,0 gramas

Audi A4 (todos)

89,4 gramas

BMW 380i (Todos)

86,9 gramas

Alfa Romeo 556

86,4 gramas

Skoda

83,3 gramas

Peugeot 307

81,9 gramas

Mitsubitch Lancer

86,9 gramas

Citroen C2

83,5 gramas

Suzuki Swift

76,3 gramas

Ford Focus

91,2 gramas

Citroen Xzara

80,0 gramas

Escort RS

86,0 gramas

Citroen C4

87,8 gramas

Calendário das provas                    
1ª etapa  - 07 de Março
2ª etapa  - 04 de Abril
3ª etapa    - 23 de Maio
4ª etapa    - 06 de Junho
5ª etapa    - 04 de Julho
6ª etapa  - 01 de Agosto
7ª etapa  -05 de Setembro
8ª etapa – 04 de Outubro
9ª etapa  - 07 de Novembro
10ª etapa  - 05 de Dezembro                                                                   

Estas datas estarão sujeitas a remanejamentos, sempre que o Car o necessitar por ordem logística ou pessoal,



Campeonato Oficina de Autorama de Nascar 2009

O Campeonato de Nascar de 2009 será realizado sempre no ultimo sábado do mês, com cinco (5) etapas com um (1) descarte do pior resultado.
Não haverá pedido de tempo para conserto do carro.
A marcação de tempo será feita na pista azul.
Carros: Modelo Nascar de fabricação SCX (modelos antigo e novo).
Motor:  RX 42  B; os motores serão disponibilizados pelas loja através de sorteio.
Depois de sorteado, não será permitido colocar o motor na fonte, nem colocar aditivos ou mesmo lubrificar.
Chassi:  Original  sem recortes ou furos; se houver algum, deverá ser fechado com mesmo material.
Guia: original do modelo.
Carroceria: original com cockpit e piloto.
Eixos: eixos livres de 3/32.
Pinhão: original  9 dentes.
Coroa: original  27 dentes, que pode ser substituída pela de alumínio (cód. SCX 50380) verde de alumínio ou (cod. SCX 50410) scx  27 dentes de bronze.
Rodas: Traseiras: originais de plástico ou de alumínio fornecidas pela loja com diâmetro igual ao original.
Rodas: Dianteiras:originais de plástico ou de alumínio fornecidas pela loja com qialquer diâmetro .
Pneus:Os pneus traseiros devem ser os originais do carro, mantendo seu diâmetro original.
Os pneus dianteiros podem ser substituidos por qualquer outro modelo da linha SCX, mantendo seu diâmetro livre.
Bitola máxima:  67 mm.
Ímãs : Traseiro = 2 ímãs pequenos faceados lado a lado ou um retangular, colocado na caixa do ima original atrás do motor; devem ser colados na linha do chassi.
Dianteiro – sem ímã, ou um dianteiro, em cima do chassi, sem furar o mesmo.
A tomada de tempo será feita em pista sorteada.
Corrida: 3 minutos por fenda com 2 minutos de intervalo, para as 8 fendas.
Não é permitido glubar a pista ou fenda que irá correr.
As provas de Nascar são organizadas pela loja tendo como Diretores de Prova, Hans e Bárbara.
Casos não previstos serão discutidos pela comissão: Borges , Luiz Armando e Célio.

Pontuação:
1º lugar  12 p           
2º lugar 10 p
3º lugar  8  p
4º lugar  7 p
5º lugar  6 p
6º lugar  5 p
7º lugar  4  p
8º lugar 3  p
9º lugar 2 p
10 lugar  1 p
Daí em diante 1 ponto cada
Pole position - 2 p

As alterações neste regulamento estão grafadas em verde.


Campeonato Carioca de Réplicas 2008 - Brothers Slot Car

RÉPLICAS - Regulamento do Campeonato Carioca de 2008 e Open de Réplicas
                                  
O open será sem regras vale tudo dentro do universo das REPLICAS .
Limitando apenas a bitola que será a mesma do modelo original e a carroceria que tem de ser de plástico com interior e pilotinho.

O campeonato para carro original será dividido em duas categorias.
1-. MODELOS ADMITIDOS:
Serão admitidos na categoria, réplicas de carros reais homologados para participação em campeonatos:
SCX TECNYTOYS
Classe 1: Turismo " DTM"
Classe 2: Grã-Turismo "GT”
CARROCERIA :
As carrocerias devem ser reproduções em escala 1/32 de acordo com os dados do fabricante.
MATERIAL:
Fabricada em plástico tipo abs ou polietileno injetado.
PEÇAS OBRIGATÓRIAS:
É obrigatório manter todos os componentes da carroceria, chassi e interior originais.
Não é permitida qualquer alteração no interior ou exterior da carroceria (tirar/cortar partes).
A carroceria deve cobrir todos os elementos mecânicos nas suas vistas vertical, frontal, posterior bem como através das superfícies transparentes (vidros ou faróis).
Permitido trocar as lâmpadas dos faróis e lanternas traseiras, bem como pintura.
DECORAÇÃO:
A decoração é livre, devendo manter-se as superfícies transparentes originais.
Pode haver repintura com nova decoração.
HABITÁCULO:
O habitáculo é considerado parte integrante da carroceria, devendo manter-se como originalmente fornecido.
PILOTO:
Deve manter-se a figura tridimensional de origem.
3-. CHASSI :
TIPO
Original do carro.
 MATERIAL
Original do modelo, plástico injetado.
SUPORTE DE MOTORES
Original fornecido com o modelo, sem qualquer modificação.
É permitida a colagem do motor nos suportes, na sua posição correspondente.
É proibido aliviar peso, usinar ou cortar/tirar partes; é permitido adicionar pesos fixos.
ÍMÃS:
Será permitido apenas o uso de um (01) ORIGINAL DO MODELO podendo regular sua altura original por meio das regulagens originais .
SUPORTES DO EIXO TRASEIRO:
Os originais do chassi sem modificações.
SUPORTES DO EIXO DIANTEIRO:
Os originais do chassi, podendo ser reforçados de forma a limitar o movimento vertical do eixo, o qual deverá continuar integralmente inscrito no perímetro original dos suportes.
No caso de haver buchas de plástico na dianteira, estas poderão ser substituídas por buchas de metal da SCX ou de outro fabricante nacional, desde que no formato carretel e para eixos 3/32.
FIXAÇÃO DA CARROCERIA:
Mediante o sistema original fornecido.
É permitido o reforço dos pinos de fixação da carroceria.
4-. TRANSMISSÃO :
TIPO:
Mecânico do tipo pinhão/coroa, na posição original.
TRAÇÃO:
Traseira.
Carros com tração 4X4 poderão participar desde que usem motores somente com tração traseira.
PINHÂO:
Original do modelo SCX ou similar com 9 dentes e mesmo diâmetro.
COROA :
Original do modelo SCX ou similar com 27 dentes e mesmo diâmetro.
RELAÇÃO DE TRANSMISSÃO:
Original de fábrica, nos seus vários modelos.
5-. EIXOS :
EIXOS:
Originais fornecidos com o modelo.
Nos modelos equipados originalmente com semi-eixos dianteiros, estes podem ser substituídos por um eixo inteiro.
BUCHAS:
Se forem de nylon nas rodas dianteiras, permitido colocar buchas tipo carretel da SCX ou similar nacional.
Podem ser coladas ao chassi.
Não é permitido o uso de rolamentos.
FOLGAS:
É permitido o uso de anilhas e/ou espaçadores para redução de folgas nos eixos.
6-. RODAS :
Originais dos modelos que existam para vender, podendo serem retificados os pneus, mantendo a altura mínima do solo para o chassi, especificado no item 9. Bitola na linha dos para lamas
Alguns modelos de carros não têm disponibilizados, pela SCX, rodas originais sobressalentes; assim será permitida sua troca por outras de alumínio, à venda no mercado. 
Será permitido o uso de rodas Dome, F-1 ou outra da categoria protótipos.
Os pneus terão que ser da marca SCX ou Competition.
7- GUIAS E CONTATOS :
GUIAS:
Único, do fabricante do carro, podendo ser desbastado e devendo estar situado na posição prevista no chassi, e original do modelo.
CONTATOS:
De livre fabricação.
8-. MOTOR:
MOTORES HOMOLOGADOS:
SCX – motores RX 41, RX 42, RX 42B, TURBO PLUS, PRO.
CARACTERISTICAS:
Motor de série girando até 23000 RPM .
Cada um usará seu próprio motor.
Os motores serão vistoriados medidos seu RPM e lacrados a cada etapa, antes e depois de cada corrida, havendo, para avistoria final, uma tolerância de 1000rpm.
 9-. PESOS e MEDIDAS :
É permitido o uso de lastros desde que solidamente fixados no interior do modelo.
A distância mínima do modelo ao solo é de 1,5mm, no ponto mais baixo do chassi
A tabela a baixo será usada como parâmetro para a vistoria !

NOVA TABELA DE PES OS E MEDIDAS DOS CARROS SCX
 10-. CONTROLES
Liberados
11-LUZES
Liberado seu uso ou não porem e obrigatório sua presença no interior do modelo.   
12- LASTRO: :
Permitido o uso de lastro  
13- DISPOSIÇÕES GERAIS :
Os carros SCX correm juntos, mas classificam-se em separado: GT e Turismo.
14- DO CAMPEONATO:
A Taça Rio de Janeiro de Réplicas - Campeonato Carioca - será composto de 4 (quatro) etapas .
15-PONTOS:
A pontuação será a seguinte: 12 - 11 - 10 - 9 - 8 - 7 - 6 - 5 - 4 - 3 - 2 - 1 - 1 - 1 - 1 - 1 - 1 - 1 - etc
A pole dará também 1 ponto.
16-DESCARTE:
Pontos corridos sem descarte
17-PREMIAÇÃO:
Haverá medalhas aos três (03) primeiros colocados de cada etapa e troféus aos oito (08) primeiros colocados no Campeonato.
18-INSCRIÇÕES:
R$ 20,00 (vinte reais) de inscrição por etapa:
 19-TÁBUA:
Será permitido o uso de tábua energizada para limpeza dos pneus a qualquer momento durante a prova.
20-TEMPO DE PROVA:
As baterias terão a duração de 3min X 1,5min de intervalo ou mais de acordo com a quantidade de pilotos .

O que não estiver permitido acima, é proibido.
Os casos omissos do presente regulamento serão decididos pela organização e pelos pilotos presentes na prova.
As alterações acima foram feitas por determinação da comissão organizadora.
Datas do campeonato .
30/08,
27/09,
25/10,
29/11,
20/12
Horário das provas – 14 horas



REGULAMENTO
6 HORAS DO RIO DE JANEIRO
- Versão 2008

Organização e promoção: www.brothersslotcar.com.br
www.silvaramos.com.br

Apoio em prêmios: Autokraft - BMW
Bardahl
Papelaria Auditora
Santiago Autorama
Ten Imóveis
TWP

Capítulo I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Artigo 1º - Este Regulamento aplica-se para a prova "6 Horas do Rio de Janeiro", Endurance de S16D, Parma e FDX; chassis para protótipo Parma e carroceria de protótipo Peugeot 905 escala 1:24, organizada pela Brothers Slot Car.
Artigo 2º - A prova terá a duração de 6:00 horas, dividida em oito (8) baterias de 45min de duração cada uma e será realizado por equipes e será realizada no dia 28 de junho de 2008, com largada prevista para as 12.00horas.
#1º - As equipes deverão ser compostas de 3 a 4 pilotos;
# 2º - Todos os pilotos inscritos deverão correr no mínimo 1 fenda;
Artigo 3º - A loja fornecerá troféus às 3 (três) primeiras equipes colocadas na prova e um troféu para as equipes restantes.
# 1º - As empresas que apóiam o evento fornecerão brindes que serão distribuídos aos pilotos de acordo com suas performances, a explicitar posteriormente.
Artigo 4º - A loja é a responsável pela coordenação da prova, cabendo ela a indicação do diretor da prova, que será a autoridade competente para o fiel cumprimento dos horários estabelecidos e dos itens do presente regulamento.
Artigo 5º - Os pilotos de cada equipe inscrita na competição são os únicos responsáveis pelos seus atos durante o evento, incidindo sobre a equipe as punições que vierem a ser aplicadas por infração do presente regulamento.
Artigo 6º - Inscrições.
# 1º - As equipes deverão confirmar sua participação e efetuar suas inscrições até 48 horas de antes da prova, no valor de R$ 30,00 (trinta reais) por piloto.
Capítulo II - Parte Técnica
Seção I - MOTORES E TRANSMISSÃO
Artigo 7º - Os motores homologados são exclusivamente, os Parma #499, FDX e Super16D, com:
a
) Caixas: Originais do motor Parma #499, idem FDX e para o S16D, nacionais(TWP ou RED FOX) sem qualquer tipo de trabalho, exceto solda sua bucha e colagem dos imãs. Não serão permitidos rolamentos;
b) Cabeçote: Original do motor Parma #499, FDX e das caixas nacionais, sem qualquer tipo de trabalho. É permitida a substituição dos postes originais por outros modelos ou marca. Não será permitido o uso de shunt;
c) Imã: Originais do motor Parma #499, do FDX e das caixas nacionais. Não será permitido qualquer tipo de trabalho de aproximação ou retificação dos imãs, sendo permitido apenas a recarga e colagem dos mesmos com cola a base de cianoacrilato (super Bonder);
d) Carvão: Será permitida a troca do carvão original por outro de qualquer marca;
e) Mola: Será permitida a substituição por outra de qualquer procedência. Não será permitido o uso de teflon nas molas;
f) Induzidos: Será permitido resinar, avançar e balancear o induzido, seja qual for o método. O coletor poderá ser retificado. Será permitido a amarração e o uso de CAP no mesmo;
g) Bucha: A bucha da caixa poderá ser soldada e a do cabeçote poderá ser colada. Ambas poderão ser trocadas apenas por outras idênticas e de mesma marca. Não será permitido o uso de rolamento;
h) Transmissão: É permitido o uso de pitch 48 ou 64. Será proibido o uso de coroa com dentes angulares e com centro de alumínio e apenas os dentes de polímero; É permitido o uso de pinhão angulado;
i) A quantidade de motores utilizados na prova é ilimitado;
j) Qualquer item não mencionado na preparação de motor será proibido.
Seção II - CHASSIS
Artigo 10º - é permitido a utilização de qualquer chassis 1:24, transversais desde que tenha sido vendido em loja e sua produção tenha sido de série. O uso de outro modelo somente será permitido se homologado pela loja e disponíveis no mercado.
# 1º - Não é permitido o uso de rolamentos.
Artigo 11º - Durante a prova o piloto deverá ter atenção especial à altura dos pneus para que o chassis não arraste na pista, sob pena de punição. Altura mínima de largada é de 1 mm.
# Haverá vistoria de altura durante a prova e a critério do diretor de prova;
Artigo 12º - Não é permitida a troca de chassis durante a prova.
Seção III - CARROCERIAS
Artigo 13º - O modelo de carroceria da prova é a Peugeot 905.
#1º - A altura de qualquer ponta da carroceria, em condição de corrida, em relação à pista será de, no máximo 45 mm. O corte da carroceria deverá obedecer basicamente à linha de corte do fabricante;
#2º - Deverá ser aplicada na carroceria o numero do piloto (nº da inscrição na loja) em pelo menos 1 (uma) posição na mesma e que deverá estar visível pela parte externa da bolha. Ao lado do "cockpit" deverá ser adesivado ou pintado ou escrito o nome dos pilotos.
#3º - Aqueles que não têm números na loja, devem solicitar por telefone à direção da mesma.
Artigo 14º - Será permitida apenas uma troca de carroceria durante a prova.
Seção IV - EIXO, PNEUS TRASEIROS E OUTROS COMPONENTES.
Artigo 15º - Só será permitido o uso de pneus traseiros na cor preta e de fabricação nacional, desde que comercializado no atacado e oferecido em larga escala para consumo.
Artigo 16º - A bitola máxima do carro será de 82.6mm.
Artigo 17º - Demais componentes e procedência:
A) O eixo será de livre fabricação e procedência, não sendo permitido o uso de eixos vazados, devendo ser 3/32.
B) A Guia será de livre procedência e fabricação;
C) As buchas serão de livre fabricação e procedência, sendo vetado o uso de rolamentos;
D) Os fios não poderão ser do tipo rígido;
Artigo 18º - Não haverá limite de peso mínimo ou máximo.
Capítulo III - PROCEDIMENTOS DE CLASSIFICAÇÃO E CORRIDA
Seção I - GENERALIDADES
Artigo 19º - A prova constitui-se de treino livre e tomada de voltas para classificação das equipes, obtendo-se a classificação pela que fizer o maior número de voltas em 1 minuto e assim sucessivamente.
Seção II - VISTORIAS
Artigo 20º - Todos os carros e os motores sobressalentes, serão inspecionados e deverão ser entregues meia hora antes do início da prova, ficando os mesmo, a partir da vistoria, sob a guarda da loja até o momento da bateria em que o carro correrá. Neste momento os carros serão entregues assim como os motores reservas àsrespectivas equipes. A inspeção será feita pelo diretor de prova, conforme as especificações técnicas constantes no presente regulamento sendo composta de:
a) Inspeção e lacre da carroceria com verificação de número e nomes;
b) Inspeção de altura total da carroceria em relação à pista;
c) Inspeção do lacre do chassi;
d) Inspeção e lacre dos motores;
e) Inspeção da bitola do carro;
f) Inspeção e lacre da fixação do motor no carro com verificação de caixa, cabeçote, imã e induzido.
#1 - No caso de substituição do motor, a mesma será feita com a presença de algum representante de outra equipe participante do evento, indicado pelo diretor de prova.
Artigo 21º - Os carros poderão ser vistoriados a qualquer momento durante a realização das baterias pelo diretor de prova e a não observação dos lacres de motor, chassi, carroceria ou componentes, implicará na desclassificação da equipe da prova, não importando o motivo alegado.
Artigo 22º - Ao final da prova, os carros dos 3 (três) primeiros colocados poderão ser vistoriados.
Seção III - ELIMINATÓRIA / CLASSIFICAÇÃO
Artigo 23º - A tomada de tempo será feita por número de voltas considerando-se o maior número de voltas dado em 1 minuto.
#1º - As voltas serão tomada na pista laranja. Caso ocorra algum problema com a mesma, será tomada na pista azul;
#2º - O critério de classificação será do maior para o menor número de voltas, cabendo desta forma, a pole position ao maior número de voltas.
Seção IV - BATERIAS
Artigo 24º - Cada bateria é final e o piloto deve correr em todas as fendas da pista com rodízio seguindo o sistema americano.
#1º - O tempo de corrida em cada fenda será de 45 minutos por 3 minutos de intervalo;
#2º - Não haverá parada de pista em caso de pequenos acidentes sendo somente executada a mesma à critério do diretor de prova.
Artigo 25º - Sendo verificada pelo diretor de prova a ocorrência de perda de algum item do carro como número ou de identificação de fenda, o piloto será comunicado e deverá repará-lo de imediato caso ponha em risco os demais competidores, ou para a próxima fenda da etapa que estiver participando.
Artigo 26º - Não será permitido retirar o carro da pista quando a corrida for interrompida por qualquer motivo.
Artigo 27º - Ao término da bateria, será proibido, sob qualquer pretexto retirar o carro da pista, para manutenção, mesmo após a identificação das barras. Os carros deverão ser posicionados na próxima fenda a ser corrida, imediatamente após a liberação do diretor de prova. Na última fenda da prova, os carros permanecerão na pista até serem liberados pelo diretor de prova.
Artigo 28º - Como as pistas utilizam o sistema de tape interrompido, o carro que eventualmente estiver sobre a mesma, quando houver uma paralização por qualquer motivo, será arrastado imediatamente para o local determinado pelo diretor de prova.
Artigo 29º - O uso de "glub" será liberado, sendo que a pista será "glubada" antes da tomada de tempo das equipes, sendo proibido pranchetar durante a corrida.
Seção V - RECOLOCAÇÃO DOS CARROS
Artigo 30º - Todos os pilotos que não estejam participando da bateria poderão ser convocados para a função de recolocadores pelo diretor da prova.
#1º - Cada equipe fornecerá um piloto por fenda para recolocar;
#2º - A equipe que não fornecer um piloto para exercer a função de recolocador numa fenda, terá descontadas 20 voltas na sua contagem final;

#3º - Nenhum piloto exercendo a função de recolocador poderá ser substituído por outra pessoa mesmo que esteja participando do evento, salvo autorização do diretor de prova após comprovação de impedimento por força maior
Artigo 31º - O recolocador é obrigado a permanecer em seu posto durante a corrida, recolocando o carro na fenda no lugar onde este saiu e de acordo com a cor do adesivo de identificação que estiver colado em sua parte dianteira.
Artigo 32º - O recolocador não fará manutenção de espécie alguma nos carros, tais como arrumar os contatos, desamassar carroceria, apertar a coroa ou os pneus traseiros ou outro problema qualquer; ocorrendo algum problema com o carro o recolocador o entregará imediatamente a um componente da equipe cujo carro apresentou problema.
OBS 1: Sendo três pilotos, um pilota, outro gandula e, o último, faz box; essas tarefas serão previamente combinadas pelos membros da equipe e informadas à direção de prova.
OBS 2: Durante a fenda o piloto só poderá trocar de função com os membros de sua equipe nas janelas que serão abertas dos 20 aos 25 minutos de cada fenda; o recolocador e o mecânico podem trocar de função caso queiram;
OBS 3: O piloto, caso queira, poderá fazer seu próprio box apenas se retirando da pista e se dirigindo ao mesmo; após o reparo entrega seu carro ao membro da equipe que está recolocando e retorna a seu lugar na pista.
Seção VI - HORÁRIOS
Artigo 33º - A prova será realizada no dia 28/06/2008
Artigo 34º - Os horários do evento serão:
a) Treinos Livres - de 10:00 às 11:00 hs
b) Entrega de carros para inspeção - 11:30 hs
c) Classificação - 12:00 hs
d) Início - 12:30 hs
OBS: A corrida começará às 12:30 hs.
Artigo 35º - Antes do início da prova, a pista será liberada pelo tempo de 3 (três) minutos para treino de aquecimento e acertos finais dos carros, findo os quais a prova se iniciará imediatamente, com qualquer número de carros no grid de largada.
Capítulo IV - PENALIDADES E RECURSOS
Artigo 36º - Serão consideradas faltas passíveis de punições, infrações a qualquer item deste regulamento, atitudes anti-desportivas, uso de palavras de baixo calão ou em alto tom.
Artigo 37º - caberá ao diretor de prova, aplicar as penalidades abaixo descritas aos pilotos e recolocadores, inscritos na prova:
a) advertência verbal;
b) Perda de 1 volta na fenda;
c) Perda de 5 voltas na fenda;
d) Desclassificação na fenda;
e) Desclassificação da prova.
Artigo 38º - Em se tratando de reclamação sobre componentes dos carros, a equipe reclamante deverá depositar junto ao diretor de prova, o valor correspondente a 2 vezes o valor médio de mercado para cada item reclamado.
Artigo 39º - Se constatadas irregularidades nos componentes do carro reclamado, o reclamante receberá de volta o valor depositado junto ao diretor de prova e este aplicará à equipe reclamada, a sanção prevista no artigo 37º- item "e" do presente regulamento.
Artigo 40º - Caso não seja constatada nenhuma irregularidade nos componentes do carro reclamado, o valor depositado pelo reclamante junto as diretor de prova, será repassado ao piloto reclamado.
Capítulo VI - DISPOSIÇÕES FINAIS
Artigo 41º - Casos omissos no presente regulamento, serão analisados e julgados pelo diretor de prova, cuja decisão será soberana.


Campeonato Oficina de Autorama de Nascar 2008

Regulamento

Carros Modelo Nascar de fabricação SCX e vendidos nas lojas.
Motor Turbo Plus 19.000 RPM, sorteado.
O motor será adquirido na loja ao custo de R$ 30,00 cada motor.
O motor ficará sob a guarda da loja até o término do campeonato.
Os motores serão sorteados a cada etapa do campeonato e entregues aos pilotos para realizar a corrida; ao término da mesma o motor será devolvido à loja para guarda do mesmo.
No caso de quebra normal do motor este será substituído por um outro Turbo Plus 19.000 RPM novo e o custo de R$ 30,00 será divido por todos os participantes do campeonato.
No caso de queima ou quebra do motor por motivo de mau uso do piloto, este receberá o motor queimado e deverá fazer o pagamento de um novo motor Turbo Plus !9.000 RPM para que possa correr na próxima etapa.
Não será permitido colocar o motor na fonte seja qual for o motivo.
Não será permitido o uso de qualquer aditivo nos motores.
Não será permitido o uso de lubrificantes no motor. Os motores já virão lubrificados para cada corrida.
Chassi Original do modelo sem retrabalho.
Não é permitido o uso de calço no eixo traseiro para apoio da coroa ou outro artefato no mesmo.
O suporte do motor ou berço do motor é parte integrante do chassi.
Guia Original do modelo.
Carroceria Permitido o rebaixamento em relação ao chassi assim como a abertura dos para lamas.
É obrigatório manter todos os componentes da carroceria e interior originais.
Não é permitida qualquer alteração no interior ou exterior da carroceria, salvo repintura.
Habitáculo - O habitáculo é considerado parte integrante da carroceria, devendo manter-se como foi originalmente fornecido.
Piloto - Deve ser mantida a figura tridimensional de origem .
Eixos Dianteiro Livre , não vazado de diâmetro 3/32;
Traseiro original ou livre não vazado caso seja usada a coroa de centro de aço (fixada por pivô).
Buchas/mancais originais, permitido Trion compatível
Pinhão - Original ou similar ao modelo com 9 dentes e pitch 48, permitido Trion compatível. .
Coroa De pictch 48, original de 27 dentes ou poderá ser substituída pela de alumínio de 27dentes de mesmo pitch da marca SCX, vendida também na loja Oficina do Autorama ou Trion compatível.
Rodas Traseiras originais do modelo ou de alumínio a venda na loja Oficina do Autorama;
Dianteiras modelos SCX plástico ou alumínio dos modelos SCX, permitido Trion compatível.
Bitola Máxima de 67 mm para ambos os eixos. Gabarito à venda na loja Oficina do Autorama.
Pneus Dianteiros Originais da SCX com rebaixamento livre, de qualquer modelo.
Traseiros originais com rebaixo livre, altura do carro mínima de 1 milímetro.
Os carros que arrastarem na pista deverão trocar os pneus imediatamente.
Ímãs dois Imãs retangulares 25x7x2.5 a venda na loja.
Dianteiro , colocado na vertical atrás do ressalto do guia; traseiro no local próprio do original com face no chassi.
Corrida O mesmo critério das demais corridas de réplica, com tempo de 3 minutos com intervalo de fendas de 2 minutos, para as 8 fendas
Tomada de tempo - Será feita a escolha da fenda na primeira etapa; após a etapa inicial será no sentido de rotação da pista , (vermelha,verde,azul etc) o mesmo para os dois circuitos.



REGULAMENTO OFICIAL Mundial de F 1 de Autorama de 2008 - Brothers Slot Car Club

CAPITULO I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Artigo 1º - Este Regulamento aplica-se ao Campeonato Mundial de F 1 2008 - PARMA 499 para automodelos de fenda, na escala 1:24, organizado pela BROTHERS SLOT CAR CLUB, que será realizado na pista do clube promotor:
BROTHERS SLOT CAR CLUB: RUA DO DIÁLOGO, 30 - Fone 9345-0122.
Artigo 2º - O Campeonato consiste de 11 provas sendo dividido em duas etapas de 5 provas e uma prova final que definirá o campeão geral.
Primeira etapa de Fevereiro a Junho definindo o vencedor da 1ª etapa
Segunda etapa de Julho a Novembro definindo o vencedor da 2ª etapa
E a prova final em Dezembro que definirá o campeão carioca de F1
Artigo 3º - A seleção das equipes que competirão se dará:
§ 1º - por sorteio dos nomes das equipes ou pela opção de escolha de uma equipe antiga não citada na F1 2008.
Artigo 4º - A BROTHERS é a responsável pela coordenação da prova, indicando os Diretores de Prova, que serão: 1 ALEXANDRE MIRANDA RIBEIRO, 2 MARCELO MIRANDA RIBEIRO, 3 (TRÊS) PILOTOS SORTEADOS QUE SERÃO OBSERVADORES DURANTE AS VISTORIAS E PROVA COM A RESPONSABILIDADE DE MONITORAR QUAISQUER ANORMALIDADES. .Alexandre será a autoridade competente para o fiel cumprimento dos horários estabelecidos e dos itens do presente regulamento. O Diretor da Prova será único ao menos durante cada bateria do evento.
Artigo 5º - O piloto inscrito na competição é o único responsável pelos seus atos durante o evento, incidindo somente sobre si as punições que vier a sofrer por infração do presente regulamento.
Artigo 6º - A inscrição será de R$ 20,00 por prova, acrescida de R$ 20,00 pelo jogo de pneus a ser utilizado na corrida.
CAPITULO II - PARTE TÉCNICA
SEÇÃO I - MOTORES E TRANSMISSÃO
Artigo 7º - Os motores homologados são exclusivamente o Parma #499, podendo ser usados até 02 motores por corrida, com:
a) Caixa: original Parma, permitida solda de sua bucha. Não são permitidos rolamentos;
b) Cabeçote: original Parma, sem qualquer tipo de trabalho.
c) Imã: original do fabricante.permitido dar carga
d) Induzidos: original Parma, Permitido rebalancear, amarrar, resinar, dar passe no coletor e avançar o coletor e cap.
e) carvão e molas livres.
Artigo 8º - Os pinhões permitidos são os das marcas FAAS, Sonic, GT1, Camem e Koford, em pitch 64, angulares e sem tratamento térmico ou de acabamento. OBRIGATORIO PINHÂO DE 10 DENTES.
Artigo 9º - As coroas permitidas são obrigatoriamente de nylon das marcas Pro Slot, Hi Speed, PSE, Red Fox, JK e TWP, em pitch 64, não anguladas, . São expressamente proibidos os modelos angulados, as com centro total em alumínio (que apresentam somente os dentes em nylon), OBRIGATÓRIO COROA DE 39 DENTES.
SEÇÃO II - CHASSIS
Artigo 10º Homologados a partir de 2005
§ 1º - Somente serão permitidos ajustes de folga e retrabalho de soldas, sem a eliminação, substituição ou adição de qualquer de seus componentes.
§ 2º - O ajuste no comprimento do chassi respeitará o original do fabricante, que é a distância entre o centro do pino do guia e o centro do eixo traseiro
# 3º - Não serão obrigatórias as rodas dianteiras.

Artigo 11º - A altura livre em relação à pista deverá ser no mínimo de 1.0 mm
A
rtigo 12º - Não será permitido troca de chassis durante a prova.
SEÇÃO III - CARROCERIAS
Artigo 13º - Os modelos de carrocerias do Campeonato são F 1 Proparts, à venda na loja .
§ 1º - A altura mínima do aerofólio traseiro do carro, em condição de corrida, em relação à pista será de 47,00 mm ao começo e 46.00mm ao final da prova. O spoiler dianteiro 6.00 mm
§ 2º - A carroceria deverá cobrir o carro totalmente no sentido longitudinal (visto por cima, deverão estar completamente ocultos até a parte de trás dos pneus e o guia, inclusive).
Artigo 14º - Não será permitida a troca de carrocerias durante a prova.
SEÇÃO IV - EIXO, PNEUS TRASEIROS E OUTROS COMPONENTES.
A
rtigo 15º - Só será permitido o uso de pneus lacrados na corrida. Estarão a venda pneus sem lacre, do mesmo modelo do lacrado para os treinos livres.
§ 1º - Em cada prova será escolhido um único tipo de pneu, a critério do clube, e que será distribuído mediante sorteio entre os competidores.
§ 2º - A partir da tomada de tempo será obrigatório o pneu da corrida lacrado.
Artigo 16º - A bitola máxima do carro será de 82,65 mm. O pneu poderá ser cortado, a critério do piloto.
Artigo 17º - Demais componentes devem atender a:
a) O Eixo será de livre fabricação e procedência, não sendo permitido o uso de eixos vazados;
b) O Guia será de livre fabricação e procedência;
c) As Buchas serão de livre fabricação e procedência, sendo vedado o uso de rolamentos;
d) Os Fios não poderão ser do tipo rígido.

e)obrigatório o uso de rodas dianteiras
Artigo 18º - O carro não terá limite de peso, podendo ser usado chumbo adesivo.
CAPITULO III - PROCEDIMENTOS DE CLASSIFICAÇÃO E CORRIDA
SEÇÃO I - GENERALIDADES
Artigo 19º - As provas constituem-se em tomada de tempo e divisão em baterias, que serão finalizadas pelo SRT.

SEÇÃO II - VISTORIAS
Artigo 20º - Todos os carros e motores serão inspecionados, durante o tempo destinado a tal e lacrados pelo Diretor de Prova, conforme as especificações técnicas constantes no presente regulamento, sendo feita:
a) Inspeção e lacre da carroceria com verificação de números e originalidade da pintura;
b) Inspeção das alturas totais da carroceria em relação à pista;
c) Inspeção e lacre do chassi;
d) Inspeção da altura livre da parte traseira do chassi em relação à pista;
e) Inspeção da bitola das rodas traseiras;
f) Inspeção e lacre do motor soldado no carro e lacre do motor reserva, com verificação dos mesmos.
§ 1º - Nos casos em que seja necessário refazer a solda do motor, ou trocar o motor, o piloto deverá comunicar ao Diretor de Prova, antes que a mesma seja refeita, para ser efetuado um novo lacre do motor no chassi, antes do retorno à prova.

Artigo 21º - Os carros poderão ser vistoriados a qualquer momento durante a realização das baterias pelo Diretor da Prova, e a não observação dos lacres de motor, chassis, carroceria ou componentes, implicará na desclassificação do piloto da prova, não importando o motivo alegado.

Artigo 22º - Ao final de cada bateria todos os carros serão recolhidos ao balcão do clube e só serão entregues ao término da prova, sendo que os 3 (três) primeiros colocados permanecerão à disposição do Diretor da Prova até o final das baterias para serem obrigatoriamente vistoriados novamente, quando poderão ser desclassificados se verificada qualquer infração a este Regulamento.
SEÇÃO III - CLASSIFICAÇÃO
Artigo 23º - Será efetuada adotando-se o resultado do sorteio randômico promovido pelo sistema de computação da prova.
SEÇÃO IV - BATERIAS
Artigo 24º - Em cada bateria, o piloto deve correr em todas as fendas da pista, com rodízio seguindo o sistema americano.
§ 1º - O tempo de corrida em cada fenda será de 3:00 minutos de corrida por 2:00 minutos de intervalo.
§ 2º - Uma faixa com a cor da fenda que estiver sendo corrida deverá ser obrigatoriamente fixada e mantida no carro. A colocação da faixa de fenda é de obrigação do piloto.
Artigo 25º - Sendo verificada pelo Diretor de Prova a ocorrência de perda de algum item do carro como números ou faixa de identificação de fenda, o piloto será comunicado e deverá repará-lo de imediato, caso ponha em risco os demais competidores, ou, podendo repará-lo na próxima fenda da etapa que estiver participando.
Artigo 26º - Não será permitido retirar o carro da pista quando a corrida for interrompida por paradas ou problemas técnicos (interrupção para vistoria excepcional, punições, irregularidades, etc.).

Artigo 27º - Ao término da última fenda de cada Bateria será proibido aos pilotos ou suas equipes, sob qualquer pretexto, retirar os carros da pista, mesmo após a identificação das barras. Aqueles carros que por qualquer motivo não completem a Bateria deverão ser entregues no balcão da loja patrocinadora. A barra a ser considerada, neste caso, será a "zero". Os carros ao final serão retirados da pista por uma pessoa indicada pelo diretor de prova.

Artigo 28º - Como as pistas utilizam o sistema de "tape" interrompido, o carro que eventualmente estiver sobre este trecho, quando houver uma paralisação por qualquer motivo, será arrastado imediatamente para o local determinado pelo Diretor de Prova.

Artigo 29º - É obrigatório o uso, por todos os pilotos, do cartão de pista durante os intervalos de fenda.

§ 1º - O cartão de pista deverá ser colocado na fenda em que o piloto irá correr após o intervalo, na mesma posição (barra) em que terminou a fenda anterior.
Artigo 30º - Liberado o uso de Glubs
§ 1º - A pista poderá ser glubada a cada intervalo de baterias (nunca de fendas), a critério do diretor da Prova e Comissão Técnica.
SEÇÃO V - RECOLOCAÇÃO DOS CARROS
Artigo 31º - Todos os pilotos que não estiverem participando da bateria corrente poderão ser convocados para a função de recolocadores pelo Diretor da Prova.

§ 1º - Qualquer piloto que não esteja participando da primeira Bateria será convocado a recolocar nessa bateria. A partir daí serão recolocadores da segunda os que correram na primeira, e assim sucessivamente, até que os da última tenham como recolocadores os da penúltima Bateria;
§ 2º - O piloto que não exercer a função de recolocador quando solicitado terá descontado 10 pontos na sua pontuação total no Campeonato;
§ 3º - Nenhum piloto exercendo a função de recolocador poderá ser substituído por outra pessoa, mesmo que esta esteja também inscrita no evento, salvo com aceitação do Diretor de Prova, após comprovação de impedimento por força maior.
Artigo 32º - O recolocador é obrigado a utilizar o jaleco identificador e a permanecer em seu posto durante a corrida, recolocando o carro na fenda no lugar onde este saiu e de acordo com a cor da faixa de identificação que estiver colada na sua parte dianteira.
Artigo 33º - O recolocador não terá a obrigação de arrumar os contatos, carroceria amassada, apertar a coroa ou os pneus traseiros ou outro problema qualquer que ocorrer com o carro devendo, caso necessário, entregar o mesmo imediatamente ao piloto.

SEÇÃO VI - HORÁRIOS
Artigo 34º As provas o correrão sempre aos Sábados às 15:00 hs.
Artigo 35º - Os horários dos diversos eventos em cada prova serão:
Pista livre as 12;00hs
Artigo 36º - No início de cada Bateria a pista será ligada pelo tempo de 2 (dois) minutos para treino de aquecimento, inspeção e acerto dos carros, findo os quais a prova se iniciará imediatamente, com qualquer número de carros no grid de largada.
CAPITULO IV - PENALIDADES E RECURSOS
Artigo 37º - Serão consideradas faltas passíveis de punição infrações a qualquer item deste Regulamento, atitudes anti-desportivas, uso de palavras de baixo calão ou em alto tom.
Artigo 38º - Caberá ao Diretor de Prova, aplicar as penalidades abaixo descritas aos pilotos e recolocadores, inscritos na etapa: .
a) Advertência verbal;
b) Perda de 10 voltas na etapa (fenda);
c) Perda de 20 voltas na etapa (fenda);
d) Desclassificação da etapa (fenda);
e) Desclassificação do campeonato;
Artigo 39º. Sempre será cobrada taxa no valor de 50% da inscrição por itens do recurso, a ser pago na entrega do mesmo a direção de prova em espécie. Sendo que está taxa jamais será devolvida mesmo que o recurso tenha sido aceito.
Artigo 40º -. No caso de protesto a outro concorrente, e caso seja julgado improcedente, metade da taxa irá para o protestado.
Artigo 41º - caso haja mais de 3 (três) protestos os mesmos ficarão retidos no club para em nova data serem vistoriados.

Parágrafo 1º · Os recursos quanto às penas aplicadas ou reclamações sobre qualquer procedimento deverão ser impetrados em no máximo 15 minutos após o final da prova e sua divulgação. O recurso deverá ser feito por escrito e assinado, sendo que em se tratando de resultado final poderão ser julgados imediatamente ou a posteriori, de acordo com a decisão da Comissão.
Em se tratando de recurso necessário ao andamento da corrida, este será julgado imediatamente.

CAPITULO V - PONTUAÇÃO E PREMIAÇÃO
SEÇÃO I - PONTUAÇÃO

Artigo 42º - A pontuação geral dos pilotos em cada etapa, será da seguinte forma:

1º - 30 pontos 11º - 18 pontos 21º - 6 pontos
2º - 29 pontos 12º - 17 pontos 22º - 5 pontos
3º - 28 pontos 13º - 16 pontos 23º - 4 pontos
4º - 27 pontos 14º - 15 pontos 24º - 3pontos
5º - 26 pontos 15º - 14 pontos 25º - 2 pontos
6º - 25 pontos 16º - 13 pontos 26º - 1 pontos
7º - 24 pontos 17º - 12 pontos
8º - 23 pontos 18º - 11 pontos
9º - 22 pontos 19º - 10 pontos
10º - 21 pontos 20º - 9 pontos
9º - 20 pontos 19º - 8 pontos
10º - 19 pontos 20º - 7 pontos

§ 1º - haverá 1 ponto extra para pole.
§ 2º - Haverá 1 (um) descarte da menor pontuação obtida no Campeonato, em prova corrida (obrigatória a largada). A pontuação nula de uma prova não corrida não será descartada.
Artigo 43º _ Premiação aos 3 (tres) primeiros em cada etapa e aos 8 (oito) melhores colocados no campeonato.

CAPITULO VI - DISPOSIÇÕES FINAIS
Artigo 44º - Casos omissos no presente regulamento, serão analisados e julgados pelo Diretor de Prova, cuja decisão será soberana, não cabendo recurso sobre a mesma.
Alexandre Brother
JANEIRO 2008


RÉPLICAS - Regulamento do Campeonato Carioca de 2007

O campeonato será dividido em duas categorias.
1-. MODELOS ADMITIDOS:
Serão admitidos na categoria, réplicas de carros reais homologados para participação em campeonatos:
SCX TECNYTOYS
Classe 1: Turismo " DTM"
Classe 2: Grã-Turismo "GT"
2-. CARROCERIA :
As carrocerias devem ser reproduções em escala 1/32 de acordo com os dados do fabricante.
MATERIAL:
Fabricada em plástico tipo abs ou polietileno injetado.
PEÇAS OBRIGATÓRIAS:
É obrigatório manter todos os componentes da carroceria, chassi e interior originais.
Não é permitida qualquer alteração no interior ou exterior da carroceria (tirar/cortar partes).
A carroceria deve cobrir todos os elementos mecânicos nas suas vistas vertical, frontal, posterior bem como através das superfícies transparentes (vidros ou faróis).
Permitido trocar as lâmpadas dos faróis e lanternas traseiras.
DECORAÇÃO:
A decoração é livre, devendo manter-se as superfícies transparentes originais.
Pode haver repintura com nova decoração.
HABITÁCULO:
O habitáculo é considerado parte integrante da carroceria, devendo manter-se como originalmente fornecido.
PILOTO:
Deve manter-se a figura tridimensional de origem.
3-. CHASSI :
TIPO
Original do carro.
Permitido furar o chassi para instalação de um segundo ímã na frente, que deve ficar facetado com a base do chassi.
MATERIAL
Original do modelo, plástico injetado.
SUPORTE DE MOTORES
Original fornecido com o modelo, sem qualquer modificação.
É permitida a colagem do motor nos suportes, na sua posição correspondente.
É proibido aliviar peso, usinar ou cortar/tirar partes; é permitido adicionar pesos fixos.
ÍMÃS:
Será permitido apenas o uso de um (01) ímã traseiro retangular ou dois (02) pequenos ímãs retangulares no corte próprio original do chassi.
Podem ser de qualquer marca, uma vez que a SCX não os disponibiliza para venda.
SUPORTES DO EIXO TRASEIRO:
Os originais do chassi sem modificações.
SUPORTES DO EIXO DIANTEIRO:
Os originais do chassi, podendo ser reforçados de forma a limitar o movimento vertical do eixo, o qual deverá continuar integralmente inscrito no perímetro original dos suportes.
No caso de ter buchas de plástico na dianteira, estas poderão ser substituídas por buchas de metal da SCX ou de outro fabricante nacional, desde que no formato carretel e para eixos 3/32.
FIXAÇÃO DA CARROCERIA:
Mediante o sistema original fornecido.
É permitido o reforço dos pinos de fixação da carroceria.
4-. TRANSMISSÃO :
TIPO:
Mecânico do tipo pinhão/coroa, na posição original.
TRAÇÃO:
Traseira.
Carros com tração 4X4 poderão participar desde que usem motores RX 41 ou 42 somente com tração traseira.
PINHÂO:
Original do modelo SCX ou similar com 9 dentes e mesmo diâmetro.
COROA :
Original do modelo SCX ou similar com 27 dentes e mesmo diâmetro.
RELAÇÃO DE TRANSMISSÃO:
Original de fábrica, nos seus vários modelos.
5-. EIXOS :
EIXOS:
Originais fornecidos com o modelo.
Nos modelos equipados originalmente com semi-eixos dianteiros, estes podem ser substituídos por um eixo inteiro.
BUCHAS:
Se forem de nylon nas rodas dianteiras, permitido colocar buchas tipo carretel da SCX ou similar nacional.
Podem ser coladas ao chassi.
Não é permitido o uso de rolamentos.
FOLGAS:
É permitido o uso de anilhas e/ou espaçadores para redução de folgas nos eixos.
6-. RODAS :
Originais dos modelos que existam para vender, podendo os pneus ser retificados, mantendo a altura mínima do solo para o chassi, especificado no item 9.
As rodas completas montadas nos eixos, não poderão ultrapassar a bitola que vier originalmente no carro.
Alguns modelos de carros não têm disponibilizados, pela SCX, rodas originais sobressalentes; assim será permitida sua troca por outras desde que da marca SCX.
Não será permitido o uso de rodas Dome, F-1 ou outra da categoria protótipos.
Os pneus terão que ser da marca SCX.
7- GUIAS E CONTATOS :
GUIAS:
Único, do fabricante do carro, podendo ser desbastado e devendo estar situado na posição prevista no chassi, e original do modelo.
CONTATOS:
Para réplicas, de livre fabricação.
8-. MOTOR:
MOTORES HOMOLOGADOS:
SCX motores RX 41 e RX 42.
CARACTERISTICAS:
De série com exclusividade para um preparador que os igualará dentro do possível.
Poderão ser sorteados, não permitido ao piloto usar o seu próprio motor caso o sorteie por acaso.
Os motores serão entregues ao responsável pelo certame que os numerará e os entregará ao preparador responsável cujo trabalho será o de dar passe no coletor e acertar os carvões que deverão ser os originais.
Após cada etapa os motores serão devolvidos ao responsável pelo campeonato que ficará de posse dos mesmos.
Nos modelos SCX poderá haver medição do desempenho dos motores, seja através de amperímetro, fonte ou máquina medidora SCX, e quando passados no verificador de fonte elétrica de 12 volts com 800ma contínua, só poderão oscilar entre 0.21 e 0.45.
Quando passados em 12v a corrente máxima é de 210mA, rodando livre, sem coroa; o numero máximo de RPM é de 17 800.
9-. PESOS e MEDIDAS :
É permitido o uso de lastros desde que solidamente fixados no interior do modelo.
A distância mínima do modelo ao solo é de 1,5mm, no ponto mais baixo do chassi
10-. CONTROLES
Liberados
11-LUZES
Não podem ser desligadas; no caso de queima durante a corrida, terão que ser substituídas para a próxima etapa.
12- LASTRO :
O vencedor de cada etapa poderá ter acrescentado um peso de três gramas a mais em seu modelo, a cada vitória, a critério da Comissão.
13- DISPOSIÇÕES GERAIS :
Os carros SCX correm juntos, mas classificam-se em separado: GT e Turismo.
14- DO CAMPEONATO:
A Taça Rio de Janeiro de Réplicas - Campeonato Carioca - será composto de 7 (sete) etapas, começando no dia 17/03/2007 e poderá ser disputado em mais de uma pista, a critério dos organizadores.
15-PONTOS:
A pontuação será a seguinte: 12 - 11 - 10 - 9 - 8 - 7 - 6 - 5 - 6 - 5 - 4 - 3 - 2 - 1 - 1 - 1 - 1 - 1 - 1 - 1 - etc
A pole dará tambem 1 ponto.
16-DESCARTE:
Haverá descarte de 1 etapa.
17-PREMIAÇÃO:
Haverá medalhas aos três (03) primeiros colocados de cada etapa e troféus aos oito (08) primeiros colocados no Campeonato.
18-INSCRIÇÕES:
Os pilotos que contribuíram para a compra do tape magnética pagarão R$ 20,00 de inscrição por etapa:
Os pilotos que não contribuíram, pagarão R$ 25,00 de inscrição por etapa.
No caso de quebra de motor durante a corrida ou o treino para a mesma, no mesmo dia, haverá cotização entre os pilotos para substituição do mesmo.
19-TÁBUA:
Será permitido o uso de tábua energizada para limpeza dos pneus a qualquer momento durante a prova.
20-TEMPO DE PROVA:
As baterias terão a duração de 3min X 1,5min de intervalo.

O que não estiver permitido acima, é proibido.
Os casos omissos do presente regulamento serão decididos pela organização e pelos pilotos presentes na prova.
As alterações acima foram feitas por determinação da comissão organizadora.


.


Carta da SCX - Tecnotoys a respeito dos motores:
www.scx.es
Conforme solicitação feita através de e-mail endereçado a nossa sede, respondemos o seguinte:
Os rotores RX41 e 42 têm as seguintes características; Fio 32 onças de bitola com total de 72 voltas de rebobinamento com verniz isotérmico BBF093 de colorização incolor, sendo o induzido feito em ferro assimuth especificação ITAF33 com diâmetro de 6 polegadas com 26 placas e sem balanceamento algum. O cabeçote feito em cobre expecificaçãoITAC871/b de três pás com diâmetro de 0,03mc de parede e colado com prata.
Os imans tem carga positiva de 53% de Nêutron, 5% cobalto e 42% de negatividade passiva. Verificação multimêtrica de X1K= 200
Estes rotores passados em verificador de fonte elétricos de 12 volts com 800ma continuo, terá que oscilar entre 0.21 a 0.52.
Qualquer outro padrão diferenciado a estes, deverá ser analisado, se houve modificação no avanço de cabeçote, pois todos são iguais, facilmente visível de alteração. Modificações nas molas ou nos carvões.
Nota: A oscilação indica que não houve retificação ou passe no coletor.
As molas são de cobre ITAC.733/cic com 7 voltas e 60 o de angulação.
Carvão de composição CO.0 o 03 em 30% de teor, cobreado de 22% de teor e 48% de carvoento ativo FA.66 de teor.
Podemos lhe informar que os nossos rotores são padrões, todos igualmente. Portanto facilmente verificável de determinação; falsa ou verdadeira. Todos sem rolimãs. Todos os rotores Tecnitoys dentro dos numerários F1, RX4, 6, 8, 10,41, 42, 81 + Pro turbo e Pro turbo plus, tem sua comercialização padrão para que possam participar de nossos campeonatos Nacionais e Mundiais, ficando colocado no grupo B2 do anexo A da Associação Espanhola de Slot Cars (AESC), no qual lhe enviamos junto o regulamento do ano de 2006.
Esperamos tê-lo servido da melhor maneira possível o seu pedido de informação sobre os nossos rotores.
Atenciosamente,
Pablo Alessandro Rossi Assessor Técnico SCX


COPA DA AMIZADE ( PARMA 499/502/PROSLOT FDX )

TÍTULO I
DA PARTE DESPORTIVA

Capítulo 1° - Das Disposições Preliminares
Art. 1° - Fica instituída uma Comissão com o propósito de organizar a COPA DA AMIZADE.
Parágrafo único: Formarão a Comissão ("Comissão") os seguintes membros:
- Silva Ramos
- Ivan Conceição
Art. 2° - Este Regulamento aplica-se às competições de Automodelismo de Fendal, na categoria Parma (protótipo / 1:24) para o ano de 2006, podendo sofrer alterações após este período, sempre em favor do aprimoramento da categoria e a critério da Comissão.
# 1º - Serão realizadas 04 provas com os nomes dos pilotos homenageados, a saber: Pedro Silva, Amílcar Amarante, Alvaro Wanderley e Ivan Cesar.
Art. 3° - A categoria Parma terá provas nas modalidades Sprint.
Art. 4° - Serão autoridades da competição o Diretor de Prova e os auxiliares técnicos.
Art. 5° - O Diretor de Prova será o responsável pela condução da competição cabendo-lhe o cumprimento firme e fiel deste Regulamento e da programação da prova, observando quando necessário, as informações de seus auxiliares. O Diretor de Prova será necessariamente um membro da Comissão ou indicado pela Comissão.
Art. 6° - O piloto é o único responsável por seus atos durante a competição, incidindo somente sobre ele as responsabilidades e punições que vier a sofrer.
Art. 7° - O piloto que for indicado para recolocação e por qualquer motivo alheio à Comissão, não o fizer no instante de início da prova será punido de acordo com os critérios estabelecidos neste Regulamento.

Capítulo 2° - Dos Procedimentos de Classificação e Corrida
Art. 9º - O Diretor de Prova será responsável pelo fiel cumprimento dos horários estabelecidos neste Regulamento, observando a orientação de seus auxiliares para o melhor desempenho de suas funções.
Art. 10º - Os horários de abertura e encerramento da pista, abertura e encerramento das inscrições, início das provas, e duração das provas, constam no Anexo 3 deste Regulamento.
Art. 11 - Será feita somente uma inscrição por piloto por carro na modalidade Sprint.
Art. 12 - Será obrigatória a utilização de "glub" na forma de spray (pulverizado) na pista, missão esta de responsabilidade exclusiva do lojista, mas aplicado conforme orientação do Diretor de Prova.
Parágrafo único - Haverá uma única pulverização de "glub" por evento, sendo que esta deverá ser feita logo que a pista estiver liberada aos pilotos. A pulverização única de "glub" deverá ser feita nas curvas e nas áreas imediatamente anteriores a estas.
Art. 13 - Não é permitido glubar os pneus de qualquer outra forma após a entrega dos carros para a inspeção técnica e durante todo o transcorrer da prova.
Art. 14 - Todos os carros serão inspecionados antes do início da etapa de classificação. A inspeção será feita da seguinte maneira:
1 - Verificar e marcar carrocerias;
2 - Verificar números (opcional);
3 - Verificar e marcar chassis;
4 - Verificar externamente e marcar motor; marcar também o 2º e 3º motores;
5 - Verificar altura livre da parte traseira do carro (1mm);
6 - Verificar bitola traseira (82,6mm) e largura do carro;
7 - Verificar altura total do carro - 38mm para Parma;
8 - Verificar rodas dianteiras (opcional);
9 - Verificar e marcar os pneus traseiros;
10 - Verificar peso do carro - mínimo 85g para Parma;
Art. 15 - A Tomada de Tempo será realizada na pista de cor laranja, de acordo com a posição americana de rotação das fendas.
Art. 16 - A ordem da Tomada de Tempo será feita por sorteio pelo computador.
Art. 17 - Caso haja qualquer problema com o sistema de classificação por melhor volta, o Diretor de Prova pode optar por de maior número de volta/barra na modalidade Sprint.
Art. 18 - Nas pistas onde houver sistema de "Tape interrompido" quando a pista for desligada e, por qualquer motivo, o carro que eventualmente estiver sobre o trecho será recolocado ou arrastado imediatamente à frente. Nas pistas em que é usado o sistema SRT, os carros que eventualmente estiverem sobre o trecho em questão serão ou não arrastados de acordo com a marcação de voltas que o sistema SRT permite visualizar, e, quem determinará, neste caso, será o Diretor de Prova.
Art. 19 - Após a realização da Tomada de Tempo e ao término das baterias de que constam a etapa, os carros ficarão no parque fechado, e somente serão liberados, através da ordem do Diretor da Prova.
Art. 20 - O Diretor de Prova poderá a qualquer instante, e a seu critério, parar a pista para inspecionar os carros.
Parágrafo único - Se um ou mais carros estiverem fora das especificações, o(s) piloto(s) devem retirar seu carro da corrida e executar os reparos com a pista ligada.
Art. 21 - Serão funções do recolocador: desobstruir a pista e recolocar o carro no lugar e fenda em que saiu. Caso saia mais de um carro no mesmo local deve ser seguida a ordem de saída dos carros e também caso um piloto tenha saído em virtude de outro carro, deve-se recolocar primeiro o prejudicado.
Parágrafo único - Se houver qualquer problema com o carro que acarrete demora na desobstrução da pista ou recolocação, este deverá ser entregue ao piloto.
Art. 22 - A pista será desligada quando o recolocador não tiver acesso ao carro, por problemas técnicos na pista ou pane no sistema de controle. Serão considerados locais sem acesso ao recolocador:
1 - Reta dos pilotos - a partir do primeiro ponto de encaixe do acelerador do primeiro piloto no sentido de direção da pista;
2 - No chão - na parte interna da pista;
3 - Nas partes onde existirem tampões ou "grama" fora do alcance dos recolocadores;
Art. 23 - Fica proibido aos pilotos discutirem com os recolocadores.
Art. 24 - Será de responsabilidade do piloto, informar ao Diretor de Prova, quando o mesmo abandonar a corrida, a barra da pista em que parou, caso contrário será considerada barra zero.
Art. 25 - Qualquer motor poderá ser desmontado para verificação mais aprofundada, caso haja necessidade ao final da prova.
Art. 26 - Todos os carros serão inspecionados ao término de cada final, com os seguintes itens verificados:
1 - Marca na carroceria;
2 - Marca no chassi;
3 - Bitola traseira;
4 - Peso do carro;
5 - Verificação do motor;
Parágrafo 1o - Não haverá tolerância no peso verificado ao término de cada bateria. A punição será em posições, ou seja, uma (1) posição a cada (0,2 gramas).
Parágrafo 2o - Os três melhores pilotos ao término de cada etapa, definido pelo maior número de voltas, poderão ter os motores que utilizaram, desmontados, para melhor verificação.
Capítulo 3° - Do Sistema das Provas e Recolocação
Art. 27 - A montagem das baterias serão realizadas, conforme tabela do Anexo 4.
Art. 28 - A escolha de fendas para todas as finais será feita de acordo com a ordem de classificação da Tomada de Tempo.
Art. 29 - Todos os pilotos serão obrigados a recolocar quando chamados pela Direção de Prova.
Art. 30 - Os recolocadores serão obrigados a permanecer no local de recolocação a partir da liberação da pista para acerto dos carros.
Art. 31 - Não havendo consenso entre os recolocadores quanto à posição de recolocação, a Direção de Prova poderá utilizar o critério de melhor posição na etapa de classificação para o reposicionamento dos recolocadores.
Art. 32 - O método de escolha de recolocadores será: a final "A" será a primeira a recolocar, a final que terminou a corrida recolocará para a próxima e assim sucessivamente.
Art. 37 - Os recolocadores deverão estar atentos somente ao seu posto de recolocação.
Art. 38 - Fica proibido ao recolocador:
1 - Recolocar o carro fora do local de onde saiu;
2 - Comer, beber ou fumar durante a recolocação;
3 - Sair de seu posto por qualquer motivo, inclusive para fazer "box" próprio ou para qualquer outro piloto, exceto durante os intervalos, devendo no entanto estar a postos antes do reinício da prova;
4 - Discutir com pilotos ou qualquer outra pessoa;
Parágrafo único - Fica a critério do Diretor de Prova, solicitar ajuda para completar o número de recolocadores necessários.
Art. 39 - Será declarado vencedor da etapa, o piloto que realizar o maior número de voltas e barras na final.
Capítulo 4o - Das Corridas na modalidade Endurance (se houver)
Art. 40 - A montagem das baterias será realizada, conforme tabela do Anexo 4, sistema de finais.
Art. 41 - As provas de Endurance serão realizadas com um número fixo de três pilotos.
Parágrafo único - Os pilotos inscritos deverão correr no mínimo 2 fendas e no máximo 3 fendas.
Art. 42 - A composição das equipes poderá ser feita com quaisquer pilotos, com no máximo 2 (dois) Campeões Brasileiro de qualquer categoria, a partir de 1989, quando foi disputado o primeiro Campeonato Brasileiro.
Art. 43 - Não será permitido, em hipótese alguma, a execução de manutenção ou reparos nos carros durante a troca de fenda, e nem mesmo a inspeção visual da mecânica do carro com o mesmo "na mão" - o carro deve ser trocado de fenda em movimento único e não ser tocado durante todo o intervalo.
Art. 44 - Aplica-se a esta modalidade, todos os itens de homologação, parte técnica, vistoria e outros itens relacionados, apresentados neste Regulamento.
Capítulo 5° - Das Penalizações e Recursos
Art. 45 - Cabe apenas ao Diretor de Prova as sanções deste capítulo.
Art. 46 - Serão penalidades do Grupo 1:
1 - A ausência do piloto recolocador em tempo e lugar;
2 - As discussões do piloto com recolocador;
3 - Recolocador com comida, bebida, cigarro ou qualquer objeto que impeça o bom desempenho de sua função;
4 - A acentuada displicência na recolocação;
5 - O piloto fumando durante a corrida;
Parágrafo único - Para estas penalidades será aplicada a pena de advertência e havendo reincidência, serão aplicadas as penalidades do Grupo 2.
Art. 47 - Serão penalidades do Grupo 2:
1 - O piloto que não devolver o carro ao recolocador após o reparo, se este ficar pronto no decorrer da corrida.
2 - O piloto ou qualquer outra pessoa que efetuar reparos no carro durante parada técnica da pista
3 - As reincidências do Grupo 1
Parágrafo único - Para estas penalidades será aplicada a pena de retirada de três voltas do total.
Art. 48 - Serão penalidades do Grupo 3:
1 - As palavras de baixo calão ou ofensivas tanto aos pilotos quanto dos recolocadores
2 - A visível tentativa de prejudicar o adversário por meios escusos, tais como:
- colisões a repetição;
- espera em curvas;
- retirada do pino do acelerador;
- colocação de objetos na fenda o adversário;etc...
3 - As reincidências do Grupo 2;
Parágrafo único - Para estas penalidades será aplicada a pena da retirada de 5 (cinco) voltas do total.
Art. 49 - Serão penalidades do Grupo 4:
1 - As agressões físicas mesmo fora da corrida;
2 - A reincidência do Grupo 3;
Parágrafo único - Para estas penalidades será aplicada a pena de desclassificação da prova.
Art. 50 - Todas as penalidades não constantes nos Grupos de 1 a 4 serão decididas pela Comissão ou pela Direção de Prova, e poderão ir de simples advertência à desclassificação da prova.
Art. 51 - Serão penalidades do Grupo 5:
1 - As modificações não permitidas nos itens homologados;
2 - A utilização de materiais não permitidos;
3 - As alterações constatadas nas medidas da vistoria final que transgridam o Regulamento, mesmo que inadvertidas na vistoria inicial;
Parágrafo único - Para estas penalidades será aplicada a pena de retirada de 10% (dez) do total de voltas.
Art. 52 - Serão penalidades do Grupo 6:
1 - A troca de chassis e ou carroceria após a lacração da vistoria inicial;
2 - Os motores fora do Regulamento;
3 - Os aceleradores com recursos que alterem a voltagem para maior do que a disponível para os adversários;
Parágrafo único - Para estas penalidades será aplicada a pena de desclassificação da prova.
Art. 53 - Os recursos quanto a penalizações ou reclamações sobre qualquer procedimento deverão ser impetrados em no máximo 45 minutos após sua divulgação. O recurso deverá ser feito por escrito e assinado, sendo que em se tratando de resultado final poderão ser julgados imediatamente ou a posteriori, de acordo com a decisão da Comissão.
Parágrafo único - E em se tratando de recurso necessário ao andamento da corrida, este será julgado imediatamente.
TÍTULO II
DO REGULAMENTO TÉCNICO (vide Anexo 2)
Capítulo 6° - Das Homologações dos Motores e Induzidos
Art. 54 - Os motores, Setups e induzidos homologados para a categoria Parma são:
1 - Motores/Setups: Parma #499 ou #502 e Pro Slot FDX
2 - Induzidos: Original Parma (AU, TU, 16D) e original Pro Slot (FDX e S16D) (proibido o intercâmbio).
Capítulo 7° - Da Homologação dos Chassis
Art. 55 - Os chassis permitidos são os homologados para Parma, a partir do ano de 2002 em diante.
Parágrafo único: Os "critérios de montagem" constam no Anexo 1 deste Regulamento.
Capítulo 8° - Da Homologação das Carrocerias
Art. 56 - As carrocerias são as de protótipos homologadas a partir do o ano de 2005.
Capítulo 9° - Da Parte Técnica
Seção 1- Dos Motores e Peças
Art. 68 - É obrigatório o uso de motores e induzidos homologados, conforme descrito nos artigos acima.
Art. 69 - Além do uso original dos motores e induzidos, serão permitidas as seguintes modificações:
Parágrafo 1º - Motores originais Parma e ProSlot FDX:
1 - Fixar com cola ou solda os mancais do cabeçote e da caixa do motor;
2 - Retificar ou lixar o coletor do induzido;
3 - Adiantar ou atrasar o coletor do induzido;
4 - Pintar com tinta translúcida as placas do induzido;
5 - Rebalancear o induzido;(opcional amarrar o coletor)
6 - Recarregar os ímãs;
7 - Fixar os ímãs com cola para ímãs;
8 - Retirar os grampos de fixação dos ímãs;
9 - Substituir o carvão original por outros quaisquer ;
10 - Intercâmbio de induzidos dos motores homologados;
11 - Polir, pintar ou oxidar a caixa na parte externa e interna, sem alterar as dimensões originais;
12 - Fixar com uso de cola os parafusos e as ferragens do cabeçote;
13 - Cortar excesso do eixo do induzido;
14 - Utilizar espaçadores de qualquer procedência;
15 - Será permitido substituir os mancais originais por outra marca, desde que metálicos; podendo ser da mesma dimensão do original. É permitido soldar um mancal em cima do outro, para fazer um mais comprido;
16 - Usar molas originais do setup;
17 - Permitido o uso de cap;
18 - As coroas permitidas são obrigatoriamente de nylon, Pro Slot, PSE, Red Fox (Cahoza), JK e TWP, em pitch 48 e 64, não anguladas. São expressamente proibidos os modelos angulados e as com centro total em alumínio (as que apresentam somente os dentes em nylon), as anguladas e as GT1.
19 - Os Pinhões são permitidos angulados.
20- Ferragens devem ser as originais do setup;
21 - Tudo o que não é permitido, é proibido
Seção 2 - Dos Chassis
Art. 70 - É obrigatório o uso dos chassis para Parma, homologados a partir de 2002, conforme descrito no Anexo 1 deste Regulamento.
Art. 71 - O chassis não poderá ser substituído durante a etapa de classificação ou durante a corrida.
Art. 72 - A distância entre o centro do eixo traseiro e o centro do poste do guia pode ser alterada apenas na lingüeta do guia.
Parágrafo 1º - Somente serão permitidos ajustes de folga e retrabalho de soldas, sem a eliminação de qualquer de seus componentes. Rodas dianteiras e seus suportes serão opcionais.
Seção 3 - Das Carrocerias
Art. 73 - A modalidade Sprint utilizará as carrocerias TWP, PROPARTS, RED FOX ou ZANINI, conforme indicado no calenário.
Art. 74 - É obrigatório o uso das carrocerias homologadas pela Comissão, sendo seu uso de livre escolha dos pilotos, dentro da relação anexa.
Art. 75 - Na frente o corte deverá ser feito mantendo o spoiler original 2mm, na traseira deverá deixar uma faixa vertical de no mínimo 5mm.
Art. 76 - Corte das carrocerias Endurance deverá respeitar a linha de corte do fabricante, risco na traseira de 3 mm (no mínimo), e na parte frontal da carroceria de 2mm e altura máxima de 38mm.
Art. 77 - O comprimento total da carroceria não poderá ser menor que 165mm
Art. 78 - As carrocerias devem estar pintadas, exceto a área dos vidros na configuração original, e o conjunto mecânico não poderá ser visto através dela quando o carro for visto por cima.
Art. 79 - É opcional o uso de 2 (dois) números adesivos, em lugares diferentes da carroceria.
Art. 80 - É opcional o uso de piloto pintado.
TÍTULO III
DA PARTE ORGANIZACIONAL
Capítulo 10° - Das condições das Pistas
Art. 81 - A loja que fará parte das etapas da COPA DA AMIZADE, será obrigada a fornecer o que segue:
1 - A pista em condições de corrida e perfeita para uso;
2 - A alimentação em condições de corrida (mínimo 12,8 volts e máximo de 14,5 volts).
3 - As bancadas para box em número suficiente para todos os pilotos;
4 - O glub em spray na pista;
5 -/Troféus/Medalhas para os 3 (três) primeiros colocados da etapa e medalha para o pole position;
6 - Reserva de 1 par de pneus para cada piloto e, pelo menos, mais 2 pares extras para serem vendidos, por piloto;
7 - Chassis de pelo menos 2 fabricantes à venda no balcão;
Capítulo 11° - Da premiação e pontuação
Art. 82 - A entrega de troféus da COPA DA AMIZADE, será realizada pela Comissão Organizadora do referido, ao término da última etapa, premiaando os 08 melhores colocados. .
Parágrafo único: A pontuação da COPA é a seguinte:

Tabela de pontos
30 - 27 - 25 - 23 - 21 - 20 - 19 - 18 - 17 - 16 - 15 - 14 - 13 - 12 - 11 - 10
- 9 - 8 - 7 - 6 - 5 - 4 - 3 - 2 - 1

1 ponto para a Pole Position;
Capítulo 12 - Do preço das inscrições e dos pneus
Art. 83- O valor a ser cobrado pela inscrição de cada prova, será de R$ 20,00 (vinte reais).
Os chassi de Parma serão homologados, respeitando as seguintes regras:
1. Terço frontal e lateral poderão ser de qualquer material (ferroso e não ferroso)
2. Parte central do carro sempre em arame.
3. Peso mínimo: 40 gramas, limpo e polido, sem nenhum componente no mesmo
Anexo 1
Montagem dos Carros
Parma
Coroa / pinhão - somente plástica - pitch 48 e 64
Eixo traseiro - Proibido eixo vazado
Mancal traseiro - Somente metálicos - proibido o uso de rolamentos
Altura livre traseira - 1,00mm na vistoria inicialNão poderá arrastar o chassis de maneira a prejudicar a pista (durante a corrida)
Guia Livre
Fio do motor - Proibido fio esmaltado
Roda dianteira - Livre - diâmetro ½", ou 12.7mm
Pneu traseiro - Sprint Somente pneu preto livre
Pneu traseiro - Endurance - Somente pneu preto nacional
Piloto - Sprint e Endurance (opcional) - Tridimensional pintado, cobrindo o conjunto mecânico
Altura total máxima do carro - 38,00mm a partir da pista
Peso mínimo - Sprint 85 g

Peso mínimo ao término das baterias - 85 g
Peso mínimo - Endurance - 80 g
Peso mínimo - Sprint - somente para os campeões brasileiros - 90 g
Bitola traseira Máximo - 82,6mm
Largura máxima do carro - Máximo 84,0mm

Anexo 2
COPA DA AMIZADE - Calendário

Dia Pista Hora Carroceria outros
12/08   16.00    
02/09 Rio Slot 16.00    
09/09   16.00    
14/10 Rio Slot 16.00    
04/11   16.00    
18/11 Rio Slot 16.00    
02/12   16.00    
09/12 Rio Slot 16.00   Entrega Prêmios
 
   
     
     

Retornar a página principal